22°
Máx
16°
Min

Denúncia indica funcionária fantasma do deputado Chedid (DEM/SP)

Denúncia levada ao Ministério Público de São Paulo indica uma suposta funcionária fantasma do gabinete do deputado estadual Edmir Chedid (DEM), 2º secretário da Assembleia Legislativa de São Paulo. Ana Lucia Parise Gritti aparece na lista de funcionários da Casa como assessora especial do parlamentar. Ela recebe R$ 17.555,37 por mês.

Mas além do cargo comissionado no gabinete de Chedid, Ana Gritti cumpre uma segunda carga horária semanal de 44 horas em uma escola do município de Serra Negra, a mais de 140 quilômetros da capital paulista.

De acordo com informações da Assembleia, Ana Lúcia é funcionária de Chedid desde outubro de 2015.

Por decisão da Mesa Diretora da Casa, publicada no Diário Oficial, a suposta funcionária também foi beneficiada com Gratificação Especial de Desempenho (GED), em janeiro de 2016, apenas três meses depois de sua nomeação.

A gratificação mensal é dada a servidores que se destacam em suas tarefas, demonstrando alta produtividade. O salário contratual é de R$ 12,8 mil acrescido de gratificação especial.

Só que a atividade prestada por Ana Lúcia agora está sendo questionada em denúncia sob análise do Ministério Público. Documento mostra que ela trabalha como professora em uma escola particular de Serra Negra e cumpre carga horária de 44 horas semanais, ou mais de oito horas diárias.

Na Assembleia, o tempo determinado de trabalho é de 40 horas semanais.

Se a funcionária exerce as duas funções tem que trabalhar pelo menos 88 horas semanais, ou quase 17 horas todos os dias.

A reportagem entrou em contato Ana Lúcia Gritti, por meio de um telefone residencial. Ela atendeu a ligação, mas negou atuar no gabinete de Chedid e também na escola de Serra Negra. "Desconheço essas informações. Sou apenas dona de casa", limitou-se a dizer.

Nas redes sociais de Ana Lúcia, entretanto, ela se identifica como professora da instituição na cidade paulista.

Ana Lúcia é mulher de Alexandre Gritti, ex-vereador e ex-candidato a prefeito da cidade de Monte Alegre do Sul, vizinha de Serra Negra. Gritti, que concorreu ao cargo pelo PSD, é ligado ao deputado Edmir Chedid.

No site da Assembleia Legislativa de São Paulo, é noticiado um encontro em março de 2015 entre os dois políticos, em que foi reivindicada a ampliação de programas e projetos sociais em Monte Alegre do Sul.

Antes de solicitar a resposta da assessoria de imprensa do deputado, a reportagem ligou para o gabinete de Chedid, no Palácio Nove de Julho, sede do Legislativo paulista.

O funcionário que atendeu o telefone disse desconhecer alguma Ana Lúcia que trabalhasse no local. No colégio onde a professora trabalha, em Serra Negra, foi informado que Ana Lúcia se encontrava de férias, retornando à escola na primeira semana de agosto.

Defesa

"Em atenção à solicitação apresentada, informamos que a funcionária ocupa, desde o fim do ano passado (nomeada no cargo em 1º de outubro de 2015, com início de exercício em 7 de outubro de 2015), o cargo de Assessor Especial Parlamentar. O Assessor Especial Parlamentar possui a função de coordenar as atividades do gabinete do deputado Edmir Chedid (DEM) na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) ou até mesmo de seu gabinete estendido; representar o parlamentar perante as autoridades e demais representantes da sociedade civil. A funcionária se reporta ao gabinete estendido de Bragança Paulista/SP e representa o deputado Edmir Chedid em Monte Alegre do Sul/SP (Circuito das Águas). A projeção de gabinete está prevista na Resolução 806/2000. Além desta atividade, a funcionária também assessorou o parlamentar na análise e no acompanhamento do Projeto de Lei do Plano Estadual de Educação."