27°
Máx
13°
Min

Dilma acredita que casos de zika não ameaçam Olimpíadas no Rio

Dilma visitou comunidades da zona oeste do Rio de Janeiro (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR/Fotos Públicas) - Dilma acredita que casos de zika não ameaçam Olimpíadas no Rio
Dilma visitou comunidades da zona oeste do Rio de Janeiro (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR/Fotos Públicas)

A presidenta Dilma Rousseff afirmou neste sábado (13) que o Rio de Janeiro vai receber uma ação dirigida de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti por conta das Olimpíadas e Paralimpíadas, que começam em agosto.

Apesar disso, Dilma acredita que o vírus Zika não ameaça o sucesso dos jogos e que a doença preocupa principalmente pela saúde das mulheres e crianças brasileiras, já que está associada à microcefalia em bebês, e não pelo evento.

 A presidenta veio ao Rio de Janeiro para as ações do Dia Nacional de Mobilização Zika Zero, realizado em 350 municípios do país para orientar a população sobre como evitar a proliferação do mosquito que transmite o vírus Zika, mas também a dengue e o chikungunya.

Dilma ressaltou que o Brasil trabalha em conjunto com os Estados Unidos na  elaboração de uma vacina para o Zika, mas, enquanto a imunização não está disponível, o combate ao mosquito é a única alternativa para diminuir os casos da doença.

Durante a manhã, a presidente visitou casas e conversou com moradores da comunidade Zeppelin, em Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade.

Casos

Para Diana Amorim, que teve zika enquanto amamentava o filho, as orientações também são importantes para que a população saiba separar as informações verdadeiras dos boatos.

Algumas pessoas, como Célia Gomes, aproveitaram a visita de Dilma e de outras autoridades para cobrar a extinção de dois valões que cortam o local, a melhoria dos serviços de saneamento básico, além de uma limpeza mais regular de terrenos baldios.

Campanha

 A campanha conta com a colaboração de agentes das Forças Armadas e 71 mil militares foram destacados para atuar apenas no estado do Rio de Janeiro.

Nos próximos dias, eles devem fortalecer o trabalho de vistoria das residências em 49 bairros da capital e outros 32 municípios fluminenses. A campanha nacional também deve chegar às escolas.

Informações Agência Brasil