24°
Máx
17°
Min

Dunga e Gilmar denunciam Romário ao Conselho de Ética do Senado

(Foto: Divulgação)  - Dunga e Gilmar denunciam Romário ao Conselho de Ética do Senado
(Foto: Divulgação)

O técnico Dunga e o coordenador de seleções da CBF, Gilmar Rinaldi, protocolaram uma denúncia contra o senador Romário no Conselho de Ética do Senado. A alegação é de que Romário tenha dirigido a eles ofensas pessoais que não estariam atreladas à função de senador, ou seja, fora do contexto de imunidade parlamentar.

Há tempos o ex-jogador tem travado embates com Dunga e Rinaldi, trocando farpas por meio de entrevistas na imprensa. Os advogados alegam na denúncia que as declarações do senador não podem ser justificadas por ele ocupar o cargo de presidente da CPI do Futebol, já que não seriam objetivo da investigação.

Em resposta, Romário afirmou que vai tomar precauções e criticou a iniciativa dos integrantes da comissão técnica da seleção. "Se não pudermos falar aquilo que temos que falar, especialmente como senador e presidente da CPI, vamos passar a viver em outro mundo. Tenho certeza que em nenhum momento eu faltei com o decoro parlamentar, mas quero dizer que o futebol está na mão deles e eles têm que se responsabilizar pelo que acontece com o Brasil em campo", afirmou.

Além do Senado, os advogados também protocolaram queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF). Eles citam como motivo inicial das divergências entre Romário e Rinaldi a passagem do ex-atacante pelo Flamengo, em 1999. Na época, a saída do agora senador foi assinada por Rinaldi.

No STF, os processos pedem que Romário responda por difamação e injúria, o que pode causar até um ano de prisão e multa. Já no Conselho de Ética do Senado a denúncia pode levar à cassação do mandato do senador. Entretanto, para que o processo seja aberto, é preciso antes que o presidente do Conselho, João Alberto Souza (PMDB-MA), aceite a denúncia.

Na abertura da reunião da CPI do Futebol desta quarta-feira, o senador afirmou que foi notificado sobre a denúncia e pediu que o presidente do Conselho arquive o processo com base na imunidade parlamentar prevista na Constituição. "De acordo com a Constituição Federal, deputados e senadores são invioláveis civil e penalmente por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos", afirmou Romário.

Ele aproveitou para ironizar o fato de que Dunga e Rinaldi foram criticados na terça-feira, em reunião entre a diretoria da CBF e a comissão técnica da seleção brasileira, pelo presidente licenciado da entidade, Marco Polo Del Nero. Ele pediu aos dirigentes que tirem logo a seleção da sexta posição das Eliminatórias da Copa do Mundo.

"É uma piada. Só mesmo um treinador da seleção como o Dunga e um coordenador como o Rinaldi aceitam se reunir com uma pessoa que está licenciada do cargo. Como vão ter autonomia para comandar um grupo de jogadores, se eles não sabem nem de quem recebem as ordens?", provocou.