24°
Máx
17°
Min

Emissão de passaportes está interrompida por defeito em máquina

A emissão de passaportes comuns e de urgência está temporariamente suspensa por causa de uma falha em um equipamento da Casa da Moeda do Brasil (CMB). O órgão prevê que a situação se normalize "na próxima semana".

A Casa da Moeda informou, em nota, já ter solicitado a substituição da peça com defeito, que será importada da Alemanha. Até lá, desculpando-se com a população, disse que "busca uma alternativa para agilizar a retomada da produção".

O requerimento de passaportes é feito na Polícia Federal. Também em nota, a PF afirmou que "não poderá cumprir os prazos de entrega inicialmente previstos nos postos de emissão", por causa do problema no equipamento. "A normalização do serviço depende exclusivamente da Casa da Moeda do Brasil", diz o texto.

No dia 16, a CMB e a PF já haviam informado que a entrega dos passaportes estava atrasada por falta de material para a confecção da capa dos documentos. A espera pode levar até 45 dias, quando o prazo habitual é de uma semana. Frente à situação, a Polícia Federal passou a cobrar uma taxa extra de R$ 77 (além dos R$ 257 habituais) para quem vai viajar nos próximos 4 meses e precisa agilizar a expedição do passaporte.

Nesta semana, a estudante carioca Lorrayne Isidoro, de 17 anos, única representante do Brasil selecionada para a 16ª Olimpíada Internacional de Neurociências, na Dinamarca, quase não conseguiu embarcar para a Europa, em função de um atraso na emissão do passaporte. A remessa que incluía o documento da jovem chegou apenas na véspera da viagem, marcada para terça-feira.