24°
Máx
17°
Min

Família e Prefeitura têm responsabilidade sobre manutenção, diz movimento

TRÊS PERGUNTAS PARA...

Lucila Lacreta, presidente do Movimento Defenda SP

1. A quem cabe a limpeza e a manutenção dos jazigos municipais?

Tanto a família quanto a Prefeitura têm responsabilidade. As famílias pagam uma espécie de aluguel para ter o jazigo - que é um custo para vida toda e faz com que algumas prefiram a cremação. Mas a Prefeitura tem de exercer seu papel e fazer a guarda, a limpeza, podar árvores, asfaltar acessos. Até porque cobra a taxa de manutenção do túmulo. As famílias podem fazer melhorias, mas a Prefeitura não pode furtar-se da responsabilidade. A manutenção é do proprietário da área, o Serviço Funerário.

2. E para cemitérios mais antigos, como o da Consolação?

Quando as famílias são extintas, a própria Prefeitura pode fazer uso daquele túmulo. O cuidado tem de ser da administração pública. Muitos túmulos são patrimônios da cidade e até históricos. Por isso, exigem um cuidado redobrado.

3. Ao defender que cemitérios se tornem parques municipais, é possível continuar a cobrar a manutenção das famílias?

Há um contrassenso. Acho a ideia interessante, mas tem de haver coerência. Pode ser que um prefeito ou outro tenha visões diferentes, mas a Prefeitura não pode furtar-se do seu papel, isso é ponto pacífico. Ela que tem a prerrogativa legal de enterrar e prover a sepultura. A responsabilidade é da lei e do consenso público. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.