22°
Máx
17°
Min

Furto de gado afeta pesquisa sobre leite no Instituto de Zootecnia

Ladrões invadiram uma área do Instituto de Zootecnia (IZ) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, em Nova Odessa, interior de São Paulo, e levaram 44 novilhas que vinham sendo utilizadas num importante estudo sobre a produção de leite com proteína A2, mais saudável ao consumo humano. O furto aconteceu na sexta-feira, 7, e a Polícia Militar ainda realiza buscas na região, na tentativa de recuperar o plantel. Em seu site, o IZ informou que as novilhas furtadas são das raças girolanda, jersey e holandesa, e fazem parte da primeira geração de bezerros dos projetos de seleção genética do estudo.

De acordo com o pesquisador Anibal Eugenio Vercesi Filho, responsável pelo projeto, as novilhas têm entre um e dois anos e estavam num pasto específico, já que são usadas em dois projetos de pesquisa. Os ladrões arrombaram o portão e levaram os animais. As novilhas usavam brincos com numeração e algumas estavam tatuadas.

Além do prejuízo material, em torno de R$ 100 mil, o furto fará com que a pesquisa tenha de recomeçar do zero, segundo ele. O estudo é inovador no Brasil e usa a seleção genética para introduzir uma proteína no leite que evita várias doenças, como diabetes, cardiovasculares, arteriosclerose e inflamação da mucosa intestinal.

Não foi a primeira vez que animais usados em estudos foram furtados de unidades de pesquisas da Secretaria. Em fevereiro deste ano, o plantel usado em um programa sobre leite naturalmente fortificado na unidade de Ribeirão Preto foi transferido para Nova Odessa, após o registro de seguidos furtos, totalizando 64 animais furtados. Os furtos prejudicaram estudos realizados em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual Paulista (Unesp).