24°
Máx
17°
Min

Grávida é primeiro caso autóctone de zika vírus na capital

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou o primeiro caso de transmissão autóctone (contraído na cidade) do zika vírus na capital. Segundo a pasta, a paciente é uma gestante de 28 anos que mora na Freguesia do Ó, na zona norte, e está com 30 semanas de gravidez.

A secretaria informou que a notificação foi feita no dia 3 de fevereiro e exames de sangue e urina confirmaram a infecção no dia 25. Uma nova avaliação foi feita no dia 26 do mesmo mês e o material foi encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz. O resultado também foi positivo.

A paciente apresentou sintomas da doença em 30 de janeiro, mas afirmou não ter feito viagens. O marido dela também não viajou e relatou não ter tido sintomas do zika vírus.

Segundo a secretaria, a gestante passou por exames e um ultrassom morfológico foi realizado para avaliar as condições do bebê. A criança não apresentou anormalidades em seu desenvolvimento. A paciente vai fazer o pré-natal no Hospital Escola e Maternidade Vila Nova Cachoeirinha, também na zona norte, que é referência para gestações de alto risco.

Bloqueio

A pasta informou que uma ação de bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti - transmissor da dengue, da chikungunya e do zika - foi feita na casa da paciente e no entorno no dia 11 de fevereiro. Ao todo, 103 imóveis foram visitados. Após a confirmação, a ação foi realizada em mais 115 imóveis. No final do mês passado, o quarteirão da paciente recebeu um bloqueio de nebulização.