23°
Máx
12°
Min

Haddad coloca secretária de Cultura na direção do Teatro Municipal

O prefeito Fernando Haddad (PT) oficializou nesta quinta-feira, 25, no Diário Oficial da Cidade, a exoneração de seu ex-chefe de gabinete, Paulo Dallari, da direção da Fundação Theatro Municipal de São Paulo. O advogado passou a ocupar o cargo em novembro do ano passado, após pedido de demissão do então diretor José Luiz Herência, hoje réu confesso no esquema de corrupção que teria desviado ao menos R$ 15 milhões do teatro. Em seu lugar, assume Maria do Rosário Ramalho, que até esta quarta ocupava o cargo de secretária municipal da Cultura.

Após a revelação do escândalo de fraudes, Dallari passou a ocupar também o cargo de interventor do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural (UBGC), organização social responsável pela gestão do teatro desde 2013. O relatório final deste trabalho, como interventor, está para ser entregue ao prefeito.

A saída do advogado ocorreu a pedido e foi provocada, segundo apurou a reportagem, pela insistência de Haddad em manter John Neschling no posto de diretor artístico do teatro. O maestro é um dos investigados no esquema - ele nega participação.

Maria do Rosário Ramalho tem 52 anos e é formada em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Atua na Prefeitura desde 1982 e de 2005 pra cá esteve na secretaria, onde exerceu diversas funções, até assumir o comando da pasta, com a saída de Nabil Bonduki, em abril deste ano.