20°
Máx
14°
Min

Kassab: PEC Teto é importante e não há crítica da comunidade científica

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, defendeu nesta sexta-feira, 14, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do teto de gastos e disse que não teme um desprestígio na sua área em eventuais cortes de gastos para preservar investimentos em saúde e educação.

O presidente Michel Temer tem falado em entrevistas que o limite de gastos é global e que alguns setores do governo poderão sofrer reduções para preservar investimentos em áreas prioritárias.

Em fala durante evento no Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana Padre Sabóia de Medeiros (FEI), em São Bernardo do Campo, Kassab afirmou que os investimentos em Ciência e Tecnologia (C&T) e inovação devem ser expressivos em momentos de crise, mas são mais baixos se comparados a outros setores.

"As soluções para qualquer país em crise surge com investimento nesse setor, que precisam ser expressivos, mas comparativamente ao que é necessários em outros setores é bem mais baixo, no que se compara à necessidade para educação, no sentido mais amplo, saúde, assistência social e infraestrutura", disse.

Em entrevista ao Broadcast Político, o ministro afirmou que a área que comanda é prioritária para a recuperação do crescimento do País e que não teme um prestígio do governo federal ao setor. "Ao contrário, o governo ao longo de seus últimos meses demonstrou profundo respeito e convicção que é uma área vital para a retomada do investimento e desenvolvimento do País, haja vista que o volume de recursos descontingenciados em todas as áreas teve no nosso ministério um valor superior porcentualmente ao outros", argumentou. Ele ressaltou que há diversas formas do governo manifestar apoio ao mundo da ciência, pesquisa e inovação e que tem "plena confiança" que isso vai acontecer na distribuição orçamentária durante os próximos anos.

Kassab também disse que não há na comunidade científica críticas contrárias à proposta de colocar um limite no crescimento de gastos com base na inflação do ano anterior. Em reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo na quinta-feira, 13, órgãos científicos criticaram a PEC do Teto, entre eles a Academia Brasileira de Ciências (ABC), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

"Estive com integrantes da comunidade vinculada à ciência e inovação na semana passada e não há nenhuma manifestação crítica em relação à PEC por parte deles", afirmou.