27°
Máx
13°
Min

Linha-6 Laranja do Metrô de São Paulo será entregue apenas em 2021

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse que a Linha-6 Laranja do Metrô da capital vai ficar pronta com um ano de atraso. A entrega de todas as 15 estações da linha, que vai ligar a Vila Brasilândia, na zona norte, à Estação São Joaquim, na Liberdade, centro, estava prevista para entrega simultânea em 2020.

É a segunda vez que a entrega da obra é adiada. Na época da assinatura do contrato, a estimativa era que os trens operassem em 2018.

"Será entregue o mais rápido possível (a linha). Agora, nós começamos (a obra) praticamente no ano passado. Geralmente são seis anos de obra, se começou em 2015 (será entregue em) 2021. Se nós pudermos, vamos antecipar", disse o governador na manhã desta quarta-feira, 22, durante evento para o início das obras de escavação da estação João Paulo I, na Freguesia do Ó, zona norte da capital.

Ainda segundo Alckmin, três estações já tiveram as obras iniciadas: João Paulo I, Santa Marina e Freguesia do Ó, o que representa 9% de toda a obra prevista para a linha.

O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, disse que o prazo de entrega da linha foi adiado por um atraso no financiamento do governo federal. "Por conta de um ano de atraso no recebimento do financiamento federal, da Caixa Econômica Federal, tivemos um pequeno atraso no pagamento das desapropriações", afirmou.

Ainda segundo Pelissioni, a concessionária Move São Paulo, responsável pelas obras, tem interesse em entregar a linha ainda em 2020, mas o cronograma oficial da operação é para o início de 2021.

Queda de passageiros

Alckmin também afirmou que a queda de passageiros e, consequentemente da receita tarifária do Metrô, não traz impactos para a construção de novas linhas e estações. O jornal O Estado de S. Paulo mostrou que a média diária de pessoas transportadas nas seis linhas caiu de 4,46 milhões, entre janeiro e maio de 2015, para 4,37 milhões no mesmo período deste ano - o que deve resultar em queda de até R$ 60 milhões na receita tarifária de 2016.

"Essa obra aqui (da linha 6) é feita pelo poder privado e o governo pagará a contraprestação a partir do momento que esteja em operação. As demais obras do metro estão cobertas com financiamento, inclusive a maioria com financiamento externo. Houve uma queda de usuário. A crise é tao grave, que as pessoas pararam até andar de metrô, mas nenhum outro órgão federado investe tanto no metrô como São Paulo", disse Alckmin.

Linha-6

A Linha 6-Laranja também contará com as Estações Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, Sesc Pompeia, Perdizes, PUC/Cardoso de Almeida, Angélica/Pacaembu, 14 Bis e Bela Vista. Além dessas, haverá quatro pontos de conexão com outros ramais: a Estação Água Branca (Linha 7-Rubi e Linha 8-Diamante, da CPTM), a Higienópolis/Mackenzie (Linha 4-Amarela do Metrô) e São Joaquim (Linha 1-Azul do Metrô).