22°
Máx
14°
Min

Lixo e descaso ameçam comunidade no Jaguaré

A esquina da avenida Dracena com a marginal Pinheiros está tomada pelo entulho. Mas o descarte irregular é apenas um dos muitos problemas existentes. Há poucos metros da C.E.I Vila Nova Jaguaré o esgoto escorre a céu aberto. O lixo por sua vez fica amontoado em pilhas que dividem espaço entre os carros e os pedestres.

A situação faz com que os moradores da comunidade do Jaguaré estejam temerosos quanto ao risco de incêndios. Francisca dos Santos, que mora no mesmo local há mais de 20 anos relata que recentemente por pouco sua casa não pegou fogo. "Eles largaram a carcaça de um carro aqui, quando numa noite eu acordei e só tive tempo de tacar água na parede pra não pegar nos barrocos ", afirma.

A falta de varrição e coleta do lixo facilitam a proliferação de ratos, mosquitos e baratas. O desempregado Willian, de 25 anos, tem dois filhos matriculados na creche da av. Dracena. " Os ratos entram em todo lugar, na escolinha dos meus filhos estes bichos vivem mexendo na comida das crianças", diz.

Os proprietários de imóveis, mesmo que distante da comunidade do Jaguaré também se mostram descontentes. Eles reclamam da varrição que não ocorre de maneira regular, mas principalmente da dificuldade cada vez maior para utilizar à av. Dracena. As construções clandestinas avançam deixando a rua cada vez mais estreita. O trecho de acesso da pista local da marginal Pinheiros, por exemplo, já não permite o tráfego de dois carros simultaneamente, mesmo se tratando de uma via de mão dupla.

Em nota a prefeitura afirmou que os serviços de coleta e varrição são feitos regularmente, sendo que o problema principal está no descarte irregular de entulho, que é crime. O comunicado esclarece ainda que a última ação adotada para amenizar o problema, a operação cata bagulho ocorreu no último dia 02.

Quanto ao esgoto jogado na rua, às ocupações que interditam parte da av. Dracena e as infestações de ratos e baratas nenhuma menção foi feita.