28°
Máx
17°
Min

Manifestantes fazem protesto no Rio para denunciar violência contra a mulher

Cerca de mil pessoas - mulheres, a maioria - caminham pela Avenida Presidente Vargas, na noite deste quarta-feira, 01, em ato para denunciar a violência contra a mulher no Brasil e cobrar providências do poder público. As manifestantes gritam palavras de ordem como "Fora, Pedro Paulo", em alusão ao pré-candidato à prefeitura do Rio pelo PMDB, que agrediu a ex-mulher. Também repetiram 30 vezes: "Quando eu acordei, tinham 30 homens em cima de mim", em referência ao depoimento da adolescente vítima de estupro.

As manifestantes levaram ainda um "muro do escracho", uma folha de papel impressa com tijolinhos, que trazia as fotos do ator Alexandre Frota, dos deputados federais Marcos Feliciano (PSC-SP), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do delegado Alessandro Thiers, afastado da investigação sobre o estupro.

Convocado pela internet, o ato tem como gancho o estupro coletivo da jovem, mas os participantes também criticam a nomeação, pelo presidente em exercício Michel Temer (PMDB), da ex-deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) como secretária nacional de Políticas para Mulheres. Ela é evangélica e já se manifestou contra o aborto mesmo em caso de estupro.

Ao longo do ato, representantes de entidades da sociedade civil fizeram discursos contra o machismo e a falta de programas de combate à violência contra a mulher.