21°
Máx
17°
Min

Microcefalia atinge 1 em 100 bebês de mães infectadas com zika vírus, diz estudo

Mulheres infectadas pelo zika vírus durante os primeiros três meses de gestação têm 1% de chance de ver seu filho nascer com microcefalia, indica estudo apresentado pela publicação médica The Lancet.

A estimativa foi baseada na análise de casos de gravidez e nascimento durante o surto de zika em 2013 e 2014 na Polinésia Francesa.

Os autores, entretanto, alertaram que o risco, calculado por meio de modelos matemáticos e estatísticos, pode diferir de um surto para outro, dependendo de como o vírus se espalha e de fatores genéticos da população afetada. A estimativa também não leva em consideração os riscos durante outros períodos da gravidez ou outras anomalias fetais que podem ser associadas ao zika vírus.

"O 1% que descrevemos aqui não é o fim da história", disse Arnaud Fontanet, co-autor do estudo e diretor da unidade de doenças epidemiologia emergentes no Instituto Pasteur em Paris.

O estudo amplia um corpo crescente de evidências ligando defeitos de nascimento ao zika vírus. Depois que o Brasil começou a relatar casos de microcefalia e sugerir uma ligação com o zika vírus, pesquisadores da França e do Tahiti voltaram a peneirar relatórios de defeitos congênitos que ocorreram ao longo de dois anos - antes, durante e depois dos seis meses de surto zika na Polinésia Francesa, disse Fontanet. Fonte: Dow Jones Newswires.