21°
Máx
17°
Min

Mobilidade urbana é testada em São Paulo

Em ano de eleições municipais, a mobilidade urbana da cidade de São Paulo foi testada hoje no Desafio Multimodal. Pela manhã, 20 equipes, divididas em duplas, partiram de quatro parques nas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste, com destino o Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. Os modais utilizados foram bicicleta, patinete, táxi, carona, ônibus, metrô, trem, triciclo e a pé.

Carolina Lários e a filha Julia, de três anos, partiram de patinete do parque Vila Lobos, na zona oeste, com destino à estação de CPTM mais próxima. Elas foram a terceira equipe a chegar ao destino final, perdendo para a participante que utilizou táxi, metrô e a pé e levou aproximadamente 40 minutos, e para a outra dupla, que contava com um deficiente visual e foi a pé, de ônibus e metrô.

Carolina conta que utiliza o patinete há três meses e esse é diariamente o seu principal meio de transporte até a estação de metrô ou trem mais próxima. "Essa foi a alternativa que encontrei no lugar da bicicleta, pois não preciso me preocupar ou perder tempo parando em bicicletário", contou Carolina, minutos antes de iniciar o desafio.

A corretora de seguros Danielle Cristiano, por outro lado, não teve tanto sucesso em seu trajeto. A participante com mobilidade reduzida partiu de triciclo do parque Estadual da Cantareira, na zona norte, e levou duas horas e meia para chegar ao destino.

Seu trajeto era partir de carona, com uso de um aplicativo, mas o carro não era adaptado. Então seguiu até a estação Parada Inglesa do metrô, com muita dificuldade de acesso. Foi para estação da Luz e linha Amarela, com complicações de acesso. Para sair na estação Consolação, Danielle conta que três elevadores foram testados e as calçadas da Rua da Consolação era muito "esburacadas". "Foi bem difícil, grau de dificuldade altíssimo e uma pessoa sozinha para utilizar transporte público em São Paulo, que tenha alguma necessidade, é muito complicado." Danielle contou com a companhia de duas amigas, que a auxiliaram no trajeto.

A relações públicas Bruna Bom também teve dificuldades em seu percurso. Partindo do Parque Vila Lobos, ela deveria ir a pé até o posto de locação gratuito de bicicletas Bike Sampa mais próximo, mas ela e sua dupla não encontraram bicicletas disponíveis e seguiram para outra parada, onde existiam três unidades, sendo uma travada e outra com o pedal quebrado. "Desistimos e pegamos dois ônibus para chegar na Paulista". No total, a dupla levou uma hora e quarenta minutos.

O desafio faz parte da Semana da Mobilidade, que acontece de 17 a 23 de setembro. Márcio Nigro, idealizador da semana, conta que a competição foi criada para avaliar a intermodalidade da cidade e a disposição de modais de cada região da cidade, sendo que cada dupla teve que alternar o seu percurso por três. "Importante para mostrar que a cidade não é homogênea e que não existe somente um modal que domina a cidade inteira."

Além do parque Vila Lobos e da Cantareira, equipes partiram do Parque Ecológico do Tietê, na zona leste, e do Parque Estadual Guarapiranga, na zona sul.