24°
Máx
17°
Min

Moradores jogam fezes em loja de acusado de matar cão a pontapés

A morte de um cão causada pela agressão de um comerciante causou comoção em Porto Alegre. Na semana passada, o yorkshire de nome Theo foi agredido depois de urinar em frente a uma loja na Rua São Luiz, no bairro Santana. Indignados, moradores da região organizaram um ato de repúdio ao ocorrido. O resultado: toda a frente do estabelecimento foi coberta com fezes.

O protesto, que reuniu mais de duas centenas de pessoas, ocorreu na tarde deste domingo, 1º, e contou com a presença de Isabel Luz, dona de Theo. Ainda muito abalada e sendo amparada por amigos e pela filha, ela pedia por Justiça. "Ele era como um filho", disse, sob olhares de dezenas de outros amantes de animais, que participaram da manifestação acompanhados por seus mascotes.

De porte pequeno, Theo não resistiu aos ferimentos causados pelo chute de seu agressor, um homem de mais de 1,80m de altura. A agressão ocorreu na quinta-feira, durante um passeio noturno do cão.

Segundo testemunhas, o yorkshire urinou na calçada da loja, vizinha ao prédio de sua dona. Naquele momento, Isabel foi surpreendida pelos gritos e xingamentos de um homem, identificado como dono do estabelecimento e morador do local. Ainda atordoada, a mulher puxou o cão para saírem dali, mas o animal acabou atingido em cheio por um pontapé.

À polícia, Isabel contou que Theo já caiu no chão imóvel. Socorrido, foram constatadas diversas fraturas e ferimentos.

O responsável pela delegacia do bairro disse que abrirá um inquérito. O delegado não divulgou a identidade do agressor, mas disse que ele possui ficha policial por agressão e ameaças. Vizinhos dizem já terem presenciado o comportamento agressivo do homem.

A pena de maus tratos contra animais é de três meses a um ano de detenção - acrescida de um terço em caso de morte do animal. Entretanto, pode ser revertida em multa ou prestação de serviços.