27°
Máx
13°
Min

MPF cobra 12 cidades paulistas para redução de larvas do 'Aedes'

Prefeituras de 12 municípios do oeste paulista serão obrigadas pelo Ministério Público Federal (MPF) a tomar medidas para reduzir o índice de larvas do mosquito Aedes aegypti. Cidades como Aspásia, Fernandópolis, Palmeira D'Oeste, Populina, Rubineia e Três Fronteiras, que tiveram casos de dengue em 2015, voltaram a apresentar alto índice de infestação do mosquito em prédios ou densidade de larvas acima do limite aceitável pelo Ministério da Saúde, segundo o MPF.

Representantes das prefeituras foram convocados para uma reunião com procuradores da República em Jales, na próxima segunda-feira, 29. O município de Vitória Brasil, que já registra epidemia de dengue, também foi chamado.

No ano passado, o MPF abriu inquérito civil para acompanhar as medidas de prevenção e combate ao mosquito em 40 municípios da região. As prefeituras foram obrigadas a realizar mutirões e promover ações para melhorar o atendimento aos pacientes.

No fim de 2015, no entanto, os procuradores constataram que 12 desses municípios já tinham novos casos de dengue ou ostentavam índices elevados de infestação pelo mosquito. Em janeiro, segundo a Secretaria de Saúde do Estado, Fernandópolis notificou 86 casos e confirmou 11. Rubineia teve 15 casos confirmados, Palmeira d'Oeste, 14 suspeitos e um confirmado, e Vitória Brasil, 12 notificados e 3 confirmados.