27°
Máx
13°
Min

No dia da mulher, USP lança campanha contra o machismo

No Dia Internacional da Mulher, a Universidade de São Paulo (USP) lançou nesta terça-feira, 8, uma campanha contra o machismo. Serão distribuídos cartazes, folhetos e outdoors pelos câmpus da instituição sobre importância da igualdade de gênero. Desde 2014, denúncias de assédio e estupro entre estudantes têm causado polêmica na universidade e foram alvos até de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Assembleia Legislativa.

Batizada de "Elas sempre podem", a campanha combate preconceitos cotidianos, como os pensamentos de que a mulher não serve para ser chefe ou deve evitar roupas curtas. O material foi feito por estudantes do curso de Publicidade e Propaganda da instituição.

A iniciativa foi desenvolvida pelo escritório USP Mulheres, criado no ano passado para propor projetos de igualdade de gênero. À frente do órgão está a sociológica Eva Alterman Blay, que tem forte atuação na luta feminista. O escritório ainda pretende desenvolver em 2016 uma pesquisa com a comunidade uspiana para mapear situações de violência vividas dentro da universidade.

Nesta terça-feira, 8, dezenas de professoras, alunas e funcionárias ainda fizeram a passeata da rede Não Cala, criada para enfrentar abusos sexuais e de gênero na USP. Durante o ato no câmpus Butantã, na zona oeste da capital, o grupo distribuiu bótons e colheu assinaturas para uma petição contra a violência desse tipo na universidade. Desde 2015, a USP também é uma das dez instituições de ensino superior mundiais escolhidas para fazer parte do movimento solidário ElesPorElas (HeForShe), da ONU Mulheres, braço das Nações Unidas voltado para o empoderamento feminino.