21°
Máx
17°
Min

No Guarujá, banhistas festejam a chegada do horário de verão

O primeiro dia do horário de verão foi bem recebido por paulistanos que resolveram aproveitar a ampliação do período com luz do sol no Guarujá, no litoral sul paulista. A estudante Marjorie Duran, de 19 anos, foi com um grupo de amigos e comemorou a mudança de horário. "É bem melhor. Eu sou muito mais feliz com o horário de verão, porque parece que o dia rende mais."

Sua amiga, a também estudante Giovanna Sica, de 19 anos, não se importou por ter de adiantar o relógio em uma hora. "Gosto muito do sol. Por mim, poderia ser o ano inteiro. Não tenho problema para acordar cedo e olha que eu me levanto todos os dias às 5h30 para ir para a faculdade."

Já a estudante Vitória Rodrigues, de 19 anos, não tinha notado que a mudança, que vai durar até o dia 19 de fevereiro, já tinha entrado em vigor. "Não sabia que tinha começado, porque meu celular mudou automaticamente. Não gosto de acordar mais cedo, mas dá para aproveitar mais o dia na praia."

O período também é celebrado pela estudante Giorgia Dias, de 27 anos. Ela não frequentava a praia desde o último verão e já planeja voltar todos os fins de semana para aproveitar os dias mais longos. "Eu amo o horário de verão. O dia fica mais longo e tem sol até mais tarde. O sol dá mais energia e alegria. Esse horário deixa a cidade mais viva."

A aposentada Blanca Zapparoli, de 78 anos, costuma passar metade do mês em São Paulo e o restante no Guarujá. Sua rotina não costuma ser alterada pelo novo horário. "Eu gosto bastante de dormir. Acordo umas 8h15, mas, para mim, é normal (a mudança)."

A adaptação é o maior problema para a fisioterapeuta Tatiana Mascarenhas Aragone, de 36 anos. "Trabalho em um hospital e acordo muito cedo, às 5 horas. É ruim ter uma hora a menos." Mas, no fim de semana, é diferente. "Eu gosto por causa da minha filha. A gente vem para a praia e só sai quando o sol se põe", diz, enquanto a filha Manuela, de 4 anos, brinca na areia.

Expectativa

Há 17 anos trabalhando como vendedor na praia, Marcos Silva, de 54 anos, que trabalha com brinquedos infantis, espera aumentar as vendas com a chegada do horário de verão. "Dá para ficar mais tempo na praia e, nesse horário, a gente consegue vender mais."