28°
Máx
17°
Min

Oeste paulista tem primeiro caso confirmado de zika

A Secretaria de Saúde de Dracena, cidade de 45,8 mil habitantes, confirmou o primeiro caso oficial de vírus zika no oeste paulista. Até então, a região tinha apenas casos suspeitos da doença. O vírus foi diagnosticado em um paciente de 36 anos que estava internado no Hospital Regional de Presidente Prudente. O doente fazia tratamento para leucemia quando apresentou os sintomas do vírus zika.

De acordo com o secretário Nelson Antonio Bortolatto, outros dois casos da doença foram diagnosticados na rede particular de saúde e informados à prefeitura. "Como não houve exame em laboratório do Adolfo Lutz, esses casos não são considerados oficiais", disse.

Ainda conforme o secretário, também foram registrados dois casos de chikungunya, mas o diagnóstico foi feito em hospitais particulares, sem a confirmação oficial. A cidade fica na região de Presidente Prudente, que enfrenta uma escalada de casos de dengue e também registrou um caso suspeito de zika. Um jovem de 17 anos, que morreu após diagnóstico da síndrome de Guillain-Barré, pode ter apresentado o vírus, mas os exames ainda estão sendo feitos.

Em Bastos, na mesma região, três moradores apresentaram sintomas da doença depois de viajar para regiões endêmicas, este ano. A Vigilância em Saúde do município colheu material e enviou para o Instituto Adolfo Lutz, mas os resultados não ficaram prontos. Também foi registrado o primeiro caso suspeito de chikungunya - o paciente viajou para o Nordeste. Em Paraguaçu Paulista, embora não haja casos confirmados de zika, o Departamento de Saúde do município está aconselhando as mulheres que pretendem engravidar a adiarem os planos, pois "teme-se que o vírus se espalhe ainda mais rápido".