24°
Máx
17°
Min

Operação contra desvio de recursos mira sete oficiais da PM no Rio

Sete oficiais da Polícia Militar do Rio acusados de participar de um esquema de desvio de recursos do Fundo de Saúde da PM (Fuspom) e cometer os crimes de corrupção passiva, peculato e falsidade ideológica são alvo da Operação Carcinoma III, deflagrada nesta terça-feira, 20, pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança (SSINTE/SESEG), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do Rio e a Corregedoria da PM.

O objetivo é cumprir mandados de prisão preventiva contra os coronéis da PM Ricardo Pacheco, ex-Estado Maior Administrativo, e Kleber Martins, ex-diretor da Diretoria Geral de Administração Financeira (DGAF), do tenente-coronel Marcelo de Almeida Carneiro, ex-subdiretor administrativo do Hospital da PM de Niterói (HPMNit) e outros oficiais da corporação. Também estão sendo cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

De acordo com a denúncia do MP, o bando foi responsável pela compra de 18 mil kits de substratos fluorescentes (substância usada para detectar a presença de bactérias) para o HPMNit, no total de R$ 1,7 milhão, de forma irregular, em setembro de 2014. Este é o oitavo processo criminal instaurado pelo GAECO referente a fraudes no setor de saúde da PM.

A primeira Operação Carcinoma, de dezembro de 2015, cumpriu 21 mandados de prisão, dos quais 11 contra oficiais da PM. A segunda, em março deste ano, resultou em três prisões de empresários e duas de PMs.