26°
Máx
19°
Min

Padre distribui sementes em missas para combater a dengue

Um padre de Monteiro Lobato, no Vale do Paraíba, tem usado as missas para distribuir sementes de crotalária aos fiéis. A planta, segundo conhecimentos populares, atrai a libélula, que é predadora do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Apesar da falta de estudo científico que comprove a sua eficácia no combate à dengue, o padre José Vieira Pinto se sentiu estimulado a cultivar e a distribuir em saquinhos de papel as sementes da planta, usada em lavouras para o controle de insetos.

A iniciativa surgiu depois de participar de um fórum sobre saneamento básico - tema da Campanha da Fraternidade deste ano. "Ganhei as sementes e distribuímos na paróquia. Cada saquinho tem aproximadamente 10 mudas que germinam em dois dias", explica.

Segundo o padre, a ideia é conseguir mais sementes para continuar a campanha na cidade de pouco mais de 4 mil habitantes. Em São José dos Campos, outro padre, amigo de Vieira, também fez a distribuição de mil pacotes com sementes aos fiéis. A planta, depois de 100 dias, libera flores amarelas e pode ser cultivada em vasos no quintal.

Epidemia

As duas maiores cidades do Vale do Paraíba decretaram epidemia de dengue, que é quando são registradas mais de 100 confirmações por 100 mil habitantes.

Desde janeiro, Taubaté registrou 2.271 notificações de suspeitas da doença, com 1.033 casos positivos autóctones confirmados e um caso importado. Outros 603 aguardam o resultado de exames.

Já em São José dos Campos, 665 casos foram confirmados, sendo 79 importados. Pindamonhangaba, cidade natal do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), está a apenas 32 casos para decretar epidemia. 200 casos já estão confirmados somente este ano.