22°
Máx
16°
Min

Parque Chácara do Jockey é inaugurado

A cidade ganhou mais um parque público neste sábado (30). Foi aberto à população o Parque Municipal Chácara do Jockey, em um terreno de 143,5 mil metros quadrados na zona oeste de São Paulo. De acordo com a Prefeitura, moradores da região lutavam pela criação de um parque há mais de três décadas.

A área foi viabilizada após negociação da gestão Fernando Haddad (PT) com o Jockey Club. A posse do terreno foi obtida por meio de desapropriação, sem indenização dos cofres públicos, a fim de abater a dívida de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da entidade com o muincípio. As adaptações e a estrutura do parque foram feitas, segundo a administração municipal, a partir de diálogos com a população da região.

O parque nasce com campos de futebol, stakepark, quadra poliesportiva, playground e áreas de convivência. A iluminação é feita por 150 luminárias LED. As calçadas do entorno também receberam melhorias - piso tátil para deficientes e alargamentos em alguns trechos. "O parque ganhou ainda um Centro de Educação Infantil (CEI) e uma Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI). Os muros que cercavam a antiga chácara também foram derrubados e trocados por grades, caracterizando a área como um parque municipal, como determina a lei. Em uma segunda etapa, será entregue um polo cultural", afirma a Prefeitura, em nota.

Skate. Um dos destaques do parque é a área para pártica de skate. Conta com 1.365 metros quadrados de área e é o maior circuito do tipo da cidade de São Paulo - considerado, de acordo com a Prefeitura, um dos três maiores do País.

"Destinado não só aos atletas de skate, mas também de bike BMX e patins street, o complexo está dividido em duas modalidades. A área de Street, pista com obstáculos como corrimões, paredes inclinadas e escadarias, possui 965m². Já a Bowl, pista em formato de piscina no modelo quadribanks, conta com uma área de 400m². A utilização do skatepark será livre, respeitando as normas e procedimentos de segurança informados no local, tais como uso de capacete e supervisão de menores", detalha a administração municipal, em nota. A estimativa é que 500 mil praticantes da modalidade na capital paulista se beneficiem do espaço.