21°
Máx
17°
Min

Pernambuco registra primeira morte por chikungunya

(Foto: Fábio Arantes/ SECOM) - Pernambuco registra primeira morte por chikungunya
(Foto: Fábio Arantes/ SECOM)

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou nesta quarta-feira, 9, a primeira morte causada pelo vírus da chikungunya no Estado. A vítima é uma idosa de 88 anos que faleceu em 21 de fevereiro, no Recife.

Segundo a secretária-executiva de Vigilância à Saúde, Cristiane Penaforte, a idosa apresentou os primeiros sintomas da doença no dia 11 de janeiro e chegou a receber atendimento hospitalar por três vezes. Em uma das ocasiões, foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de uma unidade pública de Saúde.

A confirmação laboratorial foi feita por meio de duas técnicas diferentes que deram resultados positivos para a presença de anticorpos de chikungunya e de fragmentos do vírus. O óbito foi registrado no boletim apresentado na última terça-feira com os dados das enfermidades transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, chikungunya e zika).

Os registros dizem respeito aos casos notificados entre 1º de agosto de 2015 e 5 de março de 2016. Até o momento há 84 óbitos por suspeita de doenças transmitidas por mosquitos.

A identidade da paciente está sendo mantida em sigilo a pedido da família. Ela era moradora do bairro da Ilha do Leite, um dos campeões em registros dessas doenças na capital pernambucana, ocupando o 4º lugar no ranking do Recife.

Balanço

Comparado com o balanço divulgado na semana passada, houve um aumento de mais de mil casos suspeitos de zika no Estado. O número saltou de 3.746 para 4.849 casos notificados. Em relação à chikungunya, as notificações aumentaram de 6.076 para 9.160 casos. De agosto até março, as notificações de dengue chegaram a 31.481 (4.210 confirmados), distribuídos em 179 municípios, o que representa um aumento de 131,70% em relação ao mesmo período de 2015.