27°
Máx
13°
Min

Polícia indicia irmão do ex-goleiro Bruno por tentativa de aborto e sequestro

Rodrigo Fernandes das Dores Souza, irmão do ex-goleiro Bruno, preso pela morte da ex-amante Eliza Samudio, foi indiciado nesta semana pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, sob suspeita de ter participado de sequestro e tentativa de aborto de Eliza praticados em outubro de 2009. Por esse crime já haviam sido indiciados o próprio goleiro Bruno e Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão. Os dois já foram condenados e cumprem pena pela morte e ocultação de cadáver de Eliza.

Preso desde setembro de 2015 no Piauí sob acusação de estupro, Souza afirmou à Polícia Civil daquele Estado ter presenciado a morte e a ocultação do cadáver de Eliza Samudio, que desapareceu em 2010. Bruno foi condenado a 17 anos e meio de prisão pelos crimes, e o corpo de Eliza nunca foi encontrado. Além do goleiro, que está detido no presídio de Contagem (MG), outras sete pessoas foram presas por esses crimes.

Em depoimento à Polícia Civil no município de Altos-PI, o irmão de Bruno afirmou que o corpo de Eliza foi ocultado em uma cidade de Minas, mas que só daria mais detalhes se for incluído num programa de proteção de testemunhas. As declarações de Souza quanto ao paradeiro dos restos mortais de Eliza foram encaminhadas à Justiça de Minas, que julgou Bruno pela morte e ocultação de cadáver, supostamente praticados em um sítio do ex-atleta naquele Estado.

A Polícia Civil do Rio investiga agressões sofridas por Eliza cerca de um ano antes de desaparecer. Em 2009, ela denunciou à Deam de Jacarepaguá ter sido alvo de um sequestro e uma tentativa de aborto. A Polícia Civil do Piauí informou a Deam sobre o teor do depoimento de Rodrigo Souza, prestado em junho, e a delegacia acabou por indiciá-lo. "Foi instaurado inquérito policial complementar para prosseguir na investigação e identificar a coautoria dos crimes. Após minucioso trabalho e diligências realizadas, conclui-se haver fortes indícios de participação de Rodrigo nos crimes, motivo pelo qual foi indiciado", informou a Deam de Jacarepaguá, em nota.