22°
Máx
17°
Min

Policiais ficam feridos durante confronto no Complexo do Alemão

Dois soldados da Unidade de Polícia Pacificadora da Fazendinha, no Complexo do Alemão (zona norte do Rio), ficaram feridos após serem encurralados por criminosos, na noite desta quinta-feira, 8, em uma área conhecida como Campo do Seu Zé. Elton de Freitas Alvim e Bruno Lessa de Siqueira foram socorridos e passam bem - um permanece no Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio (região central), enquanto outro já recebeu alta do Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha (zona norte).

Em áudios obtidos e divulgados pelo jornal "Extra", os policiais pedem socorro aos colegas e reclamam das condições de trabalho. "Guarnição encurralada. Estamos aqui abrigados na rua, mas estão atacando! Tiro está pegando em cima", diz um dos policiais, que continua: "Reforço aqui no campo do Seu Zé, estão jogando bomba na gente aqui. Os caras estão atacando, jogaram uma granada na gente, no contêiner. Tem que pedir o blindado. Tem cinco policiais aqui, estamos encurralados, compadre, a munição está acabando. Só tem a gente aqui, os caras estão dando tiro em cima da gente".

Em outro trecho, os PMs criticam as condições de trabalho: "A verdade é uma só: essa p. de UPP está cada vez pior. Falo pelo lugar que eu trabalho, não tem mais munição, não tem efetivo, teve que ficar um bando de colega adido por causa da p. dessa Olimpíada e da Paralimpíada agora. Aí tem que chamar blindado, chama apoio de fora. Nós não temos efetivo para trabalhar. É complicado, vejo esse tipo de situação e fico chateado", reclama um deles. "Além de outras situações que estão desenroladas que nem convém colocar em grupo de WhatsApp", completa o policial.

Consultado pela reportagem, o Comando das UPPs não se manifestou até as 16h45 desta sexta-feira, 9.