26°
Máx
19°
Min

Policial usa gás de pimenta para controlar briga em escola de Rio Preto

Um policial militar usou gás de pimenta para separar uma briga entre alunos da Escola Estadual Valdemiro Naffah, nesta sexta-feira, 24, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. Sete alunos passaram mal após inalar o gás e foram atendidos na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Norte. Depois de medicados, foram entregues aos pais.

O tumulto aconteceu durante o intervalo das aulas. Um aluno de 18 anos começou a agredir outro de 15, no pátio da escola, quando se formou um tumulto em volta deles. De acordo com a diretora Maria Silva Nacaoski, os funcionários e a vice-diretora tentaram separar os alunos, mas não conseguiram e decidiram chamar o policial.

Ele estava na escola porque é marido de uma professora. O PM foi até o pátio e, segundo a diretora, usou o spray de pimenta porque também não conseguiu conter sozinho a turma de alunos. Segundo ela, a briga começou por motivos banais e virou um corpo-a-corpo entre os estudantes. Os pais dos envolvidos foram chamados e eles já foram suspensos.

O comandante da PM em Rio Preto, coronel Paulo Pagotto, defendeu o soldado, afirmando que ele apenas recorreu ao spray depois de tentar em vão apartar a briga entre os alunos. Segundo Pagotto, o policial tinha ido à escola para falar com a esposa que é funcionária do local. Quando a briga começou, ele foi chamado e se viu na obrigação de intervir, mas preferiu usar o spray pimenta para não empregar força física, o que, segundo ele, foi a conduta mais adequada. Mesmo assim, segundo o comandante, a conduta do policial será apurada.