21°
Máx
17°
Min

Previsão para os próximos dias será de mais frio, segundo a Climatempo

Previsão para os próximos dias será de mais frio, segundo a Climatempo

A frente fria que chegou a São Paulo no fim de abril, o mais quente dos últimos 73 anos, confundiu até os paulistanos mais prevenidos. A técnica de laboratório Isabel Marques, de 33 anos, sempre carrega uma blusa na bolsa durante o outono, mas subestimou a previsão do tempo. "Justamente hoje (ontem) acabei esquecendo o casaco em casa. Até anteontem estava muito calor, então não acreditei que passaria frio", disse.

Ela caminhava na quarta-feira se encolhendo do vento forte na Avenida Paulista com o marido, o operador farmacêutico Cristiano Marques, de 35 anos, e o filho Mateus, de 4, o único agasalhado do trio. "Com criança a gente não pode bobear", disse Isabel.

Na quarta, em 24 horas, a temperatura na capital caiu 7°C - de 25°C para 18°C -, tendência que levou a Climatempo a prever para hoje a madrugada mais fria do ano, com 13°C. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a menor temperatura neste ano na cidade foi registrada em 17 e 22 de janeiro: 15,7°C. César Soares, da Climatempo, disse que o recorde para esta quinta-feira, 28, pode ser duplo, uma vez que a expectativa é de que a tarde seja a mais fria do ano - a previsão de menor temperatura máxima hoje é de 19°C, abaixo do recorde anterior (19,7°C registrados no dia 1º de março).

Com a queda brusca de temperatura na quarta, a podóloga Vanessa da Silva, de 40 anos, também foi pega de surpresa e teve de tirar do guarda-roupa um dos poucos casacos sem cheiro de guardado. "Não tive tempo ainda de colocar os outros para tomar um ar", contou.

Quem também estava desprevenida foi a balconista Iralina Cirino, de 49 anos, que aguardava o ônibus de braços cruzados e sem agasalho. "Achei que não faria frio", disse. "Mas também, já passamos muito calor, né? É bom sentir esse frio também", consolou-se.

"Anteontem (26), como tivemos a entrada da frente fria, houve um contraste de massa de ar. Havia uma massa de ar quente predominando e esse choque das duas massas fez com que tivéssemos ventos mais fortes", explicou Soares. Por volta das 2 horas da madrugada de ontem, o Mirante de Santana, na zona norte, registrou rajadas de 66 km/h, segundo o Inmet.

Neste fim de semana, a temperatura máxima prevista é de 25°C e a mínima, de 13°C. Segundo o meteorologista da Climatempo, as próximas semanas devem continuar com baixas temperaturas.

Susto

No litoral norte, uma das seis balsas que fazem a travessia entre São Sebastião e Ilhabela foi "arrastada", às 7h30, por causa de ventos de até 70 km/h. Segundo a Dersa, uma embarcação maior, a FB-30, foi direcionada para prestar apoio à FB-11. As duas, porém, ficaram à deriva por seis horas, uma amarrada à outra, até serem resgatadas. O serviço foi paralisado e ninguém ficou ferido. Em Santos, a maré fechou o porto e também paralisou as balsas para Guarujá.

A temperatura de 6°C em Passo Fundo, região norte do Rio Grande do Sul, pode ter sido a causa da morte um morador de rua. São José dos Ausentes, na Região Serrana, chegou a marcar 1,3°C. Segundo a Somar Meteorologia, a noite foi a mais fria do ano no Estado.

Em Santa Catarina, a temperatura despencou e os termômetros chegaram a -1°C em Bom Jardim da Serra e Urubici - a sensação térmica foi de -13°C, segundo o Centro de Informações e Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia. (Colaboraram Reginaldo Pupo, Luiz Alexandre Souza Ventura, Luciano Nagel e Rafael Thomé, Especiais Para AE)

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.