28°
Máx
17°
Min

Professores municipais fazem ato em frente à Prefeitura de São Paulo

Os professores da rede municipal de São Paulo fazem uma manifestação na tarde desta quarta-feira, 9, em frente à Prefeitura no primeiro dia de paralisação da categoria. Diretores do Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem) estão reunidos com representantes da Prefeitura, que apresentam uma proposta de negociação.

Na última sexta-feira, 4, a categoria aprovou uma greve, alegando que a prefeitura não havia apresentado uma proposta de reajuste. Após a reunião com a prefeitura, os servidores devem votar se continuam paralisados.

0

Os profissionais da educação reivindicam que a Prefeitura cumpra a lei com a aplicação do reajuste de 3,74% em maio. Eles também pedem que sejam adiantados os reajustes de 5,39%, 5% e 4,76%, previstos em lei para serem aplicados em novembro deste ano, maio de 2017 e maio de 2018, respectivamente, totalizando um reajuste acumulado de 20,26%.

Tatiane de Morais Silva, de 33 anos, professora do Ensino Fundamental 2 da Emef José Lins do Rêgo, em São Mateus, disse que a escola divulgou comunicados aos pais para informar sobre a greve. "Os pais entenderam a necessidade dessa greve, que não é só por salário, mas por melhoria em sala de aula também. Temos salas de 2º ano do Fundamental com 35 alunos, é um número muito alto para crianças que estão em fase de alfabetização", disse.