24°
Máx
17°
Min

Sabesp arrecada 40% mais com multas do que perde com bônus

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) arrecadou 40% mais dinheiro com a multa para quem aumentou o consumo de água do que deixou de arrecadar com a concessão de bônus para quem economizou o recurso em fevereiro. Foi a primeira vez que a receita com a sobretaxa superou as perdas com os descontos desde o início da crise hídrica.

Segundo a estatal, a receita com a sobretaxa de até 50% na fatura de quem gastou mais água do que antes da crise chegou a R$ 50,8 milhões, enquanto a perda de arrecadação com o bônus de até 30% na fatura foi de R$ 36,3 milhões em fevereiro, primeiro mês após as mudanças que elevaram em 22% a meta de economia para a concessão do benefício aos consumidores.

Segundo o diretor econômico-financeiro da Sabesp, Rui Affonso, esse resultado inédito e a melhora da situação hídrica da Grande São Paulo a partir de setembro de 2015 levaram a Sabesp a solicitar à agência reguladora do setor (Arsesp) o cancelamento do bônus e da multa a partir de 1º de maio.

"Em nenhum momento criamos a tarifa de contingência (sobretaxa) com objetivo arrecadatório. Tanto é assim que, no primeiro mês em que a tarifa de contingência superou o bônus, nós protocolamos na Arsesp o pedido de suspensão de ambos, reiterando nossa posição."

Os números mostram que, entre janeiro e fevereiro, o valor arrecadado com a multa subiu de R$ 49,6 milhões para R$ 50,8 milhões, enquanto a perda de receita com o bônus caiu 54,3% no período, de R$ 79,4 milhões para R$ 36,3 milhões. Neste balanço, o número de clientes beneficiados caiu de 66% para 44%.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.