22°
Máx
16°
Min

Secretaria acusa alunos de saque a escolas ocupadas em Goiás

Pelo menos duas escolas desocupadas pelos estudantes na noite de sexta-feira, 19, sofreram saques e vandalismo, segundo a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte do Estado de Goiás. As unidades estavam ocupadas desde o início de dezembro em protesto contra a transferência da gestão para organizações sociais. A Secretaria informou que ainda não efetuou o levantamento em outras 26 unidades desocupadas. Apenas uma escola continuava ocupada nesta segunda-feira, 22.

No Instituto de Educação de Goiás, em Goiânia, vistoria preliminar apontou a falta de 50 computadores, três aparelhos de ar condicionado, cinco notebooks, data shows, modem, impressoras, filmadoras e máquinas fotográficas, além de produtos da merenda escolar. Dinheiro, cheques e documentos oficiais da escola também teriam sumido. O prédio estava ocupado desde 12 de dezembro.

Houve ainda pichação de corredores e salas de aulas, portas arrancadas e armários arrombados. As chaves da escola estavam jogadas na calçada. Os ocupantes ainda deixaram uma mensagem com ameaças à diretora. Ainda segundo a pasta, houve depredação e furtos também no Colégio Estadual Lyceu de Goiânia. Por causa da depredação, as aulas continuam suspensas nessas unidades.

Representantes dos alunos negaram os saques e vandalismo. No caso do Instituto de Educação, eles disseram que, apesar de avisados, nenhum funcionário ou dirigente apareceu para receber a escola. Pelas redes sociais, os estudantes estão convocando um ato de protesto contra o projeto do governo para a próxima quinta-feira, na Praça Universitária, em Goiânia. Em Anápolis, a manifestação será nesta terça-feira, 23, na Praça Bom Jesus.