28°
Máx
17°
Min

Secretaria passa a especificar registro de 'morte suspeita'

O secretário Alexandre de Moraes informou ontem que a Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP), setor responsável por compilar estatísticas criminais, passou a especificar os boletins de ocorrência registrados como "morte suspeita" em São Paulo. A medida foi tomada após o Estado revelar 21 casos com históricos de assassinato que foram registrados dessa forma.

Para o secretário, a decisão deve eliminar dúvidas de que o aumento de "mortes suspeitas" esteja relacionado à queda de homicídios. "Estamos pegando não só o gênero (morte suspeita), mas também a espécie." Moraes disse que os BOs de 2015 e 2014 já foram analisados. Segundo ele, a grande maioria é de mortes naturais, acidentes de trânsito, atropelamentos ou suicídios. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.