21°
Máx
17°
Min

Servidores fazem ato em apoio a ocupação da reitoria da Unicamp

Os estudantes da Unicamp que ocuparam a reitoria da universidade na noite de terça-feira, 10, continuam no prédio. Eles informaram que não pretendem sair até que suas reivindicações sejam atendidas. O protesto é contra o corte de R$ 40 milhões em verbas da universidade, falta de cotas sociais, congelamento de concursos, não reposição de professores aposentados e pela ampliação e melhorias na moradia estudantil.

Na tarde desta quinta-feira, 12, eles receberam apoio de funcionários da universidade. Os servidores realizaram um ato na frente da reitoria e farão uma paralisação na segunda-feira, 16, quando também começa a campanha salarial. No dia 18 será realizada uma assembleia para discutir uma possível greve dos servidores da Unicamp.

Dos 600 estudantes que iniciaram a ocupação, cerca de 400 ainda estariam no prédio. Os manifestantes não confirmam os números e nem se a diminuição do número de pessoas na reitoria foi espontânea ou se foi decidida pelos organizadores para que fosse feito um rodízio.

Uma assembleia dos universitários será realizada nesta sexta, às 12 horas, em frente à reitoria. Eles discutirão como será conduzida a ocupação, a negociação com a universidade e também deverão eleger representantes para falar com a imprensa. As informações até agora são divulgadas por uma página na internet.

Os manifestantes estão pedindo colaborações para manter a ocupação, principalmente produtos de limpeza. Também afirmam que o serviço de internet no prédio da reitoria foi desligado para tentar desarticular o movimento e prejudicar a comunicação.

Os alunos disseram que não foram procurados pela direção da universidade para negociação. A reitoria disse que não recebeu qualquer reivindicação prévia e que foi surpreendida pela ocupação, mas que está aberta a negociações com os manifestantes.

A reitoria afirma que as atividades de ensino, pesquisa e extensão funcionam normalmente no câmpus. Os funcionários que trabalham na reitoria e pró-reitorias foram transferidos para outros prédios e retomaram suas funções nesta quinta, 12.