24°
Máx
17°
Min

Sorocaba reduz apoio à Parada LGBT e causa protestos

Alegando a crise econômica, a prefeitura suspendeu o apoio financeiro à edição deste ano da Parada LGBT, prevista para o próximo dia 21, em Sorocaba, interior de São Paulo. O suporte material ao desfile, no entanto, será mantido. Em nota, a prefeitura informou que a medida foi tomada como contenção de gastos. Nas redes sociais, a LGBT Sorocaba postou nota de repúdio à "falta de comprometimento" da prefeitura com a política social.

Segundo a publicação, a organização pediu apenas água, banheiros químicos, recipientes para lixo, ambulância e segurança para proteger o espaço público e as pessoas, "direitos de qualquer cidadão". Conforme a nota, também foi solicitada a montagem de três tendas para assessoria jurídica aos participantes e apresentações artísticas. "Somando tudo isso, daria R$ 4,3 mil, mas a parada vai rolar mesmo sem apoio", diz a postagem.

A parada deste ano aborda o tema "mais ativismo trans" e deve reunir de 15 a 20 mil pessoas, segundo os organizadores, na Praça Frei Baraúna, região central da cidade. O desfile percorrerá ruas do centro. A prefeitura informou que está apoiando o evento "dentro das possibilidades financeiras do momento". Foram disponibilizados banheiros químicos, segurança e limpeza, podendo ser fornecida água se houver solicitação.

Segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão, todos os eventos de iniciativa ou apoiados pela prefeitura tiveram corte parcial ou total em razão da crise financeira. "Exemplo disso é o cancelamento do desfile cívico em comemoração aos 362 anos da cidade, no dia 15 de agosto, por conta da necessidade de reduzir gastos", informa a nota.