22°
Máx
17°
Min

Suspeito de assassinar delegado de São José do Rio Preto é preso

A Polícia Civil de São Paulo prendeu nesta terça-feira, 28, o homem suspeito de ter assassinato a tiros o delegado Guerino Solfa Neto, do Departamento de Polícia Judiciária (Deinter-5), em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. O acusado, Abner Saulo Oliveira Calixto, de 26 anos, entregou-se à polícia na capital paulista e foi levado para o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Santana, na zona norte. Em depoimento informal, ele confessou o crime.

Abner estava preso por roubo e havia sido beneficiado com a saída temporária do Dia de São João, na último sexta-feira, 24, por bom comportamento. O corpo de Solfa Neto foi encontrado com perfurações de balas e as mãos amarradas, no sábado, 25, na margem da Rodovia Washington Luís. Ele tinha saído de uma festa em uma chácara e não chegou em casa.

O suspeito disse aos policiais que agiu sozinho. Ele encontrou a caminhonete parada com uma pessoa dormindo no interior e decidiu praticar um furto. Durante a abordagem, o delegado teria acordado e ele o amarrou. Após descobrir que se tratava de um policial, decidiu matá-lo, usando a arma do delegado. O veículo, a arma e outros pertences da vítima foram encontrados na casa de Abner, em São Paulo.

O suspeito foi transferido para Rio Preto e deve ser ouvido ainda nesta quarta-feira, 29, no inquérito da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) que apura a morte do policial.

A polícia não acredita que ele tenha agido sozinho e ainda investiga possível relação do assassinato com o crime organizado. O delegado prendeu quadrilhas ligadas ao tráfico de drogas e roubos a bancos que agiam na região. Para a polícia, Abner pode ter saído da prisão com a incumbência de matar o delegado. Solfa Neto atuava no setor de inteligência do Deinter.