24°
Máx
17°
Min

Taxistas protestam contra Uber na Avenida Paulista

Um grupo de cerca de 400 taxistas e seus familiares realizou protesto contra o Uber e "em favor do transporte legalizado" na Avenida Paulista na manhã deste domingo, 28. A estimativa é da Polícia Militar, mas os manifestantes falam em "milhares" de pessoas.

A manifestação foi realizada pelo Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores nas Empresas de Táxis do Estado de São Paulo (Simtetaxis). O sindicato busca conquistas assinaturas para um abaixo-assinado contra a liberação do aplicativo de caronas. Segundo a entidade, mais de 40 mil tsxistas já aderiram à causa.

Os taxistas usaram camisetas brancas com a frase "Encontro da Família Taxistas pela Legalidade e pela Justiça", além de carregar bandeiras do Brasil e faixas de protesto.

"Lideranças sindicais de Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Paraná e Distrito Federal também somaram esforços a esta causa nobre", diz nota do Simtetaxis. O objetivo é reunir 200 mil assinaturas, que serão levadas ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Violência. Neste mês o presidente de outro sindicato ligado aos taxis, o das empresas de táxi de São Paulo (Sintetaxi-SP), virou alvo de inquérito da Polícia Civil por incitar violência e apologia ao crime. Antonio Matias, o Ceará, compartilhou um vídeo nas redes sociais incentivando violência contra motoristas do Uber. "Agora é cacete, prefeito", disse ele ao prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT). O dirigente sindical, no entanto, negou o incentivo e disse que é contra a violência.