22°
Máx
17°
Min

Campanha de vacinação contra a dengue no Paraná começa no dia 13 de agosto

A vacinação contra a dengue no Paraná vai começar no próximo dia 13 de agosto. A campanha foi realizada nesta terça-feira (26), pelo governador do Estado, Beto Richa. O objetivo é imunizar 500 mil pessoas nos 30 municípios com maior circulação viral da doença.

No boletim da Dengue, divulgado hoje pela Secretaria Estadual da Saúde, o Paraná já ultrapassou 55 mil casos confirmados da doença. Ao todo, 61 pessoas morreram em decorrência da dengue no estado. O município com maior incidência da doença é Paranaguá, onde aconteceu o evento de lançamento da campanha.

Durante a solenidade, que contou com a presença do ministro da Saúde, Ricardo Barros, o governador assinou o protocolo com a empresa francesa fabricante da vacina, a Sanofi Pasteur, para a aquisição das 500 mil doses.

A meta é vacinar pelo menos 80% do público alvo. Em Paranaguá e Assaí – municípios com maior incidência de dengue em proporção ao número de moradores –, as pessoas entre 9 e 44 anos terão direito à vacina. Já nas outras 28 cidades, quem tiver entre 15 a 27 anos poderão receber a dose.

No próximo dia seis, será realizado um mutirão de capacitação para a aplicação da vacina. O Dia D da campanha vai ser realizado no dia 13 de agosto (sábado), os postos de saúde ficarão abertos durante todo o dia. A campanha vai seguir por três semanas e se encerram em 31 de agosto.

“Lançamos a primeira campanha pública de vacinação contra a dengue das Américas, graças ao esforço da nossa Secretaria da Saúde. Além da vacina, lançamos testes múltiplos para o diagnóstico da dengue, Zica e Chikungunya”, disse Beto Richa.

A vacina contra a dengue vai ser aplicada em três doses, no espaço de seis meses, garantindo assim a imunização até o verão para proteger os paranaenses de novas epidemias como aconteceu em Paranaguá, neste ano.

Incidência aumentou três vezes

A incidência de dengue no Paraná aumentou três vezes de 2013 a 2015. Em relação ao último período epidemiológico (agosto de 2015 a julho de 2016), o número de casos de dengue aumentou em 55%. Mais de 80% da população do Estado, cerca de 9 milhões de pessoas, vive em áreas com circulação viral.

"Com a incorporação da vacina em municípios epidêmicos, será possível diminuir a circulação viral de dengue no Estado, protegendo indiretamente também as pessoas não imunizadas", explicou o secretário estadual da Saúde em exercício, Sezifredo Paz.

O vice-presidente da Sanofi Pasteur, Guillaume Leroy, garantiu que a vacina é segura e eficaz. "Tivemos 20 anos de pesquisa com um conjunto robusto de estudos que mostram que a vacina dengvaxia proporciona proteção de 93% contra a dengue grave e reduz em 80% as internações pela doença", relatou.

Ele explicou que para o desenvolvimento da vacina e comprovação de sua segurança e eficácia, a empresa trabalhou com 40 mil pacientes, em dez países, incluindo o Brasil. “A Sanofi tem visão de interesse público para essa vacina. Implantamos uma planta de produção nova na França. Hoje temos vários milhões de doses disponíveis”, informou.

Colaboração: Agência Estadual de Notícias