24°
Máx
17°
Min

CCZ lança semana de prevenção à leishmaniose visceral

Semana será realizada em agosto para conscientizar população (Foto: Divulgação) - CCZ lança semana de prevenção à leishmaniose visceral
Semana será realizada em agosto para conscientizar população (Foto: Divulgação)

A campanha de prevenção à Leishmaniose Visceral será realizada em Foz do Iguaçu na segunda semana do mês de agosto. Será uma semana inteira de ações preventivas, para conscientizar toda população sobre a importância de se evitar a proliferação desta doença. 

O Centro de Controle de Zoonoses – CCZ está organizando a campanha com o objetivo de alertar as pessoas que ainda desconhecem a Leishmaniose, informando as formas de transmissão e os riscos que a doença causa, podendo inclusive levar a morte.

No município já foram registrados três casos de Leishmaniose Visceral em humanos, com uma morte em decorrência do estado crônico e do avanço da doença no corpo humano sem os devidos atendimento e tratamento.

O CCZ alerta para que os donos de cães fiquem atentos a qualquer sinal como: emagrecimento, perda de pelos (local ou generalizada), lesões de pele (ao redor dos olhos, em orelhas, focinho), descamação na pele (semelhante a uma “caspa”), crescimento exagerado das unhas, apatia e sangramento nasal e ao surgirem estes sintomas acionarem o CCZ para a busca do animal e correta avaliação do caso.

O que é a Leishmaniose Visceral?

É uma doença crônica, de origem parasitária, causada por um protozoário chamado Leishmania infantum (no Brasil também é conhecida como Leishmania chagasi). É considerada uma zoonose, pois afeta o ser humano e animais, principalmente os cães.

Como é transmitida?

A transmissão ocorre através da picada de pequenos insetos chamados flebotomíneos. São popularmente conhecidos como mosquito-palha. São os vetores do protozoário e só as fêmeas são capazes de transmiti-lo ao sugar o sangue. O mosquito-palha adquire o protozoário ao picar um cão infectado, e pode transmitir para outros cães ou para as pessoas.

Se não for diagnosticada precocemente e não for tratada corretamente a Leishmaniose Visceral pode levar a pessoa à morte. Existe uma preocupação maior com pessoas imunodeprimidas, com crianças menores de dez anos de idade e idosos. Em Foz do Iguaçu, a rede de Atenção Básica do SUS tem sido sensibilizada desde 2012, com treinamentos para médicos e outros profissionais da Saúde para a realização correta do diagnóstico, possibilitando, o tratamento e minimizando o risco de morte.

Como prevenir a Leishmaniose Visceral nas pessoas?

Não existe vacina contra Leishmaniose para as pessoas. O principal meio de prevenção é evitar a reprodução do mosquito-palha. Para isso, deve-se manter os quintais limpos e livres de matéria orgânica. Coletar lixo regularmente e limpar os entulhos (como madeiras, telhas).

Terrenos desocupados também devem ser mantidos limpos pelos proprietários. Pode-se ainda usar telas finas nas aberturas das casas (portas e janelas), mosquiteiros impregnados com inseticidas bem como outros métodos repelentes, especialmente nos horários de maior atividade do inseto. 

O Ministério da Saúde recomenda a retirada de cães positivos do ambiente para evitar que o mosquito-palha se contamine e transmita o protozoário para outros cães e para as pessoas. 

Colaboração: Assessoria de imprensa