24°
Máx
17°
Min

Com mosquitos estéreis, Tecpar faz piloto de combate à dengue em Maringá

Meta é reduzir população do mosquito (Foto: Divulgação) - Com mosquitos estéreis, Tecpar faz piloto de combate à dengue
Meta é reduzir população do mosquito (Foto: Divulgação)

Uma das cidades com maior número de casos de dengue no estado, Maringá foi escolhida pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para receber um projeto-piloto de combate à dengue, juntamente com Paranaguá.

Por meio de uma parceria com a empresa Forrest Innovatiosn, o Tecpar pretende produzir e liberar na natureza machos estéreis do Aedes aegypi, transmissor de doenças como a dengue, com expectativa de queda de 90% na incidência do mosquito.

De acordo com o diretor de Biotecnologia Industrial do Tecpar, Julio Salomão, o projeto consiste no Controle Natural de Vetores (CNV). “Os mosquitos estéreis competirão na natureza com os mosquitos selvagens, o que acarreta na consequente redução da proliferação do mosquito, inclusive das fêmeas, que são as transmissoras das doenças. Conforme os resultados nas duas cidades sejam positivos, a aplicação desta tecnologia será estendida a outros municípios paranaenses que sofrem com a presença da dengue, do zika e do chikungunya”, ressalta.

No início do projeto é realizada a coleta de ovos do mosquito que não estejam contaminados. Depois, os insetos são levados para o laboratório, onde recebem uma alimentação com produtos que garantem 100% da sua esterilidade. Estéreis, os mosquitos são soltos nos municípios em um voo rasante em um avião que vem dos Estados Unidos somente para o projeto-piloto.

Em Paranaguá, o laboratório está sendo instalado no Aeroparque e, em Maringá, no Aeroporto Silvio Name Junior. Os espaços funcionarão até novembro de 2017.

Colaboração Assessoria de Imprensa