28°
Máx
17°
Min

Cristo Redentor será iluminado de amarelo em apoio à campanha de prevenção ao suicídio

(Foto: Arquivo / Agência Brasil) - Cristo em amarelo em apoio à campanha de prevenção ao suicídio
(Foto: Arquivo / Agência Brasil)

O Cristo Redentor ganha logo mais, às 19h30, iluminação  amarela em apoio à campanha de prevenção ao suicídio: Setembro Amarelo para lembrar hoje (10)  o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Organizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), a ação tem a finalidade de desmistificar o tema e mostrar à população que o suicídio pode ser evitado.

O suicídio envolve fatores socioculturais, genéticos e ambientais, mas a existência de um transtorno mental é considerada um forte fator de risco para a ação. De acordo com um levantamento da World Psychiatry, em 96,8% dos casos de suicídio caberia um diagnóstico de transtorno mental à época do ato fatal. De acordo com o presidente da ABP, Antônio Geraldo da Silva, “isso não significa que todo suicídio está relacionado a uma doença mental,  mas não podemos fugir da constatação de que o transtorno mental é um importante fator de risco para o suicídio”, avaliou o psiquiatra. 

Na lista das doenças mentais que elevam a prevalência do suicídio estão: depressão, bipolaridade e transtornos decorrentes de dependência alcoólica e outras drogas psicoativas. “Problemas de personalidade, esquizofrenia e crises de ansiedade também devem ser observados com atenção”, analisa Antônio Geraldo da Silva.

Números

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano em todo o mundo, o que equivale a uma morte a cada 40 segundos. No Brasil, os números também impressionam: segundo o Sistema de Informações de Mortalidade, do Ministério da Saúde, foram registrados 11.821 suicídios em 2012, o que representa, em média, 32 mortes por dia.

O Setembro Amarelo acontece em todo o país e já ganhou a adesão de várias cidades. Desde o início do mês, inúmeros monumentos ganharam iluminação amarela em apoio à campanha, o que tem chamado a atenção da população para o tema e sua prevenção. A iniciativa também tem gerado visibilidade para a cartilha de combate ao suicídio, feita pela Associação Brasileira de Psiquiatria em parceria com o Conselho Federal de Medicina. 

Colaboração Agência Brasil