23°
Máx
12°
Min

IAP torna mais rígida multa por entrega incorreta das embalagens de agrotóxico

(Foto: AEN) - Multa para quem não fizer tríplice lavagem fica mais rígida
(Foto: AEN)

Os produtores rurais sabem que as embalagens de agrotóxicos precisam ser ‘devolvidas’ e antes disso, precisam passar pela chamada ‘tríplice lavagem’, que garante níveis aceitáveis de descontaminação das embalagens. Quem não segue as normas, é multado, mas, mesmo quem era multado, conseguia na própria normativa, várias brechas e recursos que acabavam levando a extinção das multas.

Pensando nisso, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), revisou e definiu novos critérios de multas para produtores rurais que fizerem a devolução de embalagens de agrotóxicos vazias sem tríplice lavagem de maneira adequada. Agora, os novos valores serão adequados a quantidade de embalagens entregues de maneira irregular. O documento estabelece que os produtores que entregarem de 1% a 6% das embalagens em desacordo com a norma receberão um auto de infração de advertência; entre 6% e 15% a multa é de R$ 500,00 e mais R$ 20,00 por embalagem contaminada. Já os que entregaram acima de 15% das embalagens sem ter feito a tríplice lavagem de maneira correta pagarão multa de R$ 1.000,00 mais R$ 20,00 por embalagem.

Tríplice lavagem

A embalagem vazia deve receber água em até 25% da sua capacidade, ser tampada e agitada durante cerca de 30 segundos. Esse procedimento deve ser repetido outras duas vezes e, por fim, a embalagem deve ser furada no fundo para ser inutilizada.

A água utilizada para isso deve ser despejada dentro do equipamento usado para aplicação do produto para ser aproveitada em futuras aplicações e jamais pode ser despejada de forma inadequada ao meio ambiente.

Entrega

As embalagens de agrotóxico devem ser entregues em associações, cooperativas e outros locais devidamente cadastrados e licenciados para isso. No Estado há 13 centrais de armazenamento e 50 postos de recebimento. De lá, 90% das embalagens recolhidas do campo são destinadas a recicladoras. Os outros 10% de embalagens vazias de agrotóxico são encaminhadas para incineração.

Colaboração AEN