27°
Máx
13°
Min

Proteção contra o Aedes aegypti

(Foto: Divulgação / Assessoria de Imprensa) - Proteção contra o Aedes aegypti
(Foto: Divulgação / Assessoria de Imprensa)

Instalar telas de proteção em portas e janelas, utilizar repelente, acender velas de citronela. Com a epidemia de dengue, febre chikungunya e zika vírus atingindo 379 das 399 cidades do Paraná, a população procura novas formas de se proteger contra o mosquito Aedes aegypti. Em uma semana, segundo dados da Secretaria do Estado da Saúde, o Paraná registrou mais de 8 mil novos casos de dengue, além de três novos casos de zika e um de chikungunya.

A melhor forma de prevenir estas doenças é eliminando seu vetor - o mosquito. E, para isso, uma das alternativas mais eficazes é a dedetização. "Infelizmente o governo não está conseguindo conter a epidemia sozinho, então a população, as empresas e condomínios estão buscando este tipo de serviço para afastar o risco de contaminação", revela Gesler Alves de Oliveira, diretor da Bio Control, uma das poucas empresas de Curitiba que oferecem o controle do Aedes.

Além da proteção, o serviço também pode gerar economia. Segundo uma pesquisa realizada pela Gesto Saúde e Tecnologia com mais de 2 milhões de trabalhadores em todo o Brasil, a dengue foi a quinta doença que mais afastou pessoas do serviço em 2015. "É possível minimizar os riscos dentro do seu ambiente, cuidando da saúde de seus colaboradores, e ainda reduzir o número de faltas e atestados", afirma Oliveira.

Utilizando um equipamento atomizador, que funciona sob pressão, o inseticida é pulverizado por meio de uma fina névoa, semelhante à fumaça, capaz de alcançar até mesmo espaços considerados inacessíveis, onde os mosquitos podem se esconder. A dedetização é realizada em horários específicos - no início da manhã e no final da tarde - quando o Aedes está mais ativo. Por eliminar o mosquito adulto - e evitar sua reprodução - a ação é uma aliada à prevenção. "O produto, aprovado pelo Ministério da Saúde, é muito eficaz. De forma rápida, é possível garantir mais proteção para qualquer espaço", explica Oliveira. Para tornar o controle da proliferação do mosquito mais completo, a Bio Control ainda possui uma equipe especializada que auxilia na fiscalização e limpeza dos prováveis focos do Aedes.

Na lei

A resolução 0029/201 da Secretaria Estadual da Saúde estabelece que determinados estabelecimentos públicos ou privados - como imóveis particulares, comerciais ou industriais; terrenos baldios; depósitos de materiais em geral; empreiteiras de construção civil; empresas de transporte de passageiros e cargas, garagens e estacionamento de veículos; floriculturas; cemitérios - devem apresentar um Plano de Gerenciamento para Prevenção e Controle da Dengue (PGPCD) quando solicitado pela autoridade sanitária local.

Colaboração Assessoria de Imprensa.