23°
Máx
12°
Min

Quanto antes... Mais cura! Diagnóstico precoce ajuda no combate ao câncer

Capacitação ajuda no diagnóstico precoce da doença (Foto: Assessoria de imprensa) - Diagnóstico precoce ajuda no combate ao câncer
Capacitação ajuda no diagnóstico precoce da doença (Foto: Assessoria de imprensa)

Mesmo sendo uma doença rara, o câncer infantojuvenil representa a segunda maior causa de mortes na faixa de 5 a 19 anos. Por outro lado, o índice de cura chega a 70% se diagnosticado precocemente. 

O Hospital Uopeccan, em parceria com o Instituto Ronald McDonald, por meio do Programa Diagnóstico Precoce do Câncer InfantoJuvenil, está capacitando profissionais de Saúde da Família e Pediatras dos municípios do Paraná para suspeição do câncer em crianças e adolescentes, desde 2008. Todavia, quando o trabalho é feito com amor e profissionalismo, só tende a prosperar. 

O programa, que é orientado pela Dra. Carmem Fiori, foi aceito para apresentação no Congresso Internacional de Oncologia Pediátrica, realizado em Dublin, na Irlanda, entre os dias 19 e 22 de outubro, com o título Actions To Improve Early Diagnosis Of Childhood Cancer In Developing Countries - (Ações para melhorar o diagnóstico precoce do câncer infantil em países em desenvolvimento).

“O objetivo do projeto é capacitar profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF) e Pediatras para reconhecer os principais sinais e sintomas do câncer infantojuvenil e encaminhar precocemente um caso suspeito, reduzindo o tempo entre o aparecimento dos sinais e o diagnóstico da doença”, explica a Dra Carmem. “Estes profissionais recebem informações básicas relacionadas a vários temas como: Política nacional de atenção oncológica, epidemiologia do Câncer InfantoJuvenil, os sinais e sintomas de suspeição, a importância do Saúde da Família, no contexto do câncer infantojuvenil, os cuidados necessários para a atenção à criança e ao adolescente com câncer e a organização do sistema de referência e contra-referência”, enaltece.

Durante os oito anos de projeto foram capacitados os profissionais de 22 municípios do estado do Paraná, sendo duas capacitações em Cascavel (em 2008 e no projeto 2015-2016), Santa Tereza do Oeste, Jesuítas, Campo Bonito, Toledo, Altônia, Cafelândia, Iporã, Assis Chateaubriand, Mariluz, Catanduvas, Braganey, Corbélia, Santa Lúcia, São Jorge do Patrocínio, Umuarama, Foz do Iguaçu, Anahy, Laranjeiras do Sul, Pérola, Missal e Dois Vizinhos. 

Cerca de 1.663 profissionais da saúde já tiveram informações sobre o câncer infanto-juvenil no Noroeste, Oeste e Sudoeste do estado. Na etapa do programa 2016/2017 serão contemplados mais cinco municípios: Matelândia, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Céu Azul e Medianeira.

A especialista ainda comenta sobre os números levantados durante o período de 2008 e 2016, em relação ao programa Diagnóstico Precoce. 

“Observamos que após o início do projeto, em 2008, mais crianças passaram a chegar na Unidade de Oncologia Pediátrica do Hospital Uopeccan. Já em 2014 começamos a notar que crianças com câncer estão chegando com a doença mais localizada, ou seja, com o diagnóstico precoce. A mudança dos parâmetros entre doença localizada e doença avançada, a partir de 2014, nos impulsiona para continuarmos o projeto, pois acreditamos que essa mudança de paradigma em nossa região seja em decorrência do programa Diagnóstico Precoce”, ressalta a médica.

Colaboração: Assessoria de imprensa