22°
Máx
16°
Min

Treinamento mental pode potencializar rendimento de atletas

Foto: Contelle Assessoria - Treinamento mental pode potencializar rendimento de atletas
Foto: Contelle Assessoria

É dia de competição. Você mal conseguiu dormir, pensando nas estratégias e adversários. A tensão aumenta exponencialmente à medida que a hora do “hush” se aproxima.

A intensa rotina de alimentação regrada aliada a treinos puxados inunda o pensamento: “será que vai fazer efeito?”. E toda a preparação pode ser colocada em “xeque” pelo descontrole emocional. Quem é atleta sabe o que é vivenciar essa ansiedade!

Nelita Machado, cascavelense que se dedica ao fisiculturismo há sete anos, acredita que o maior desafio pré-competição é justamente a batalha mental.

“Não dá para deixar que a negatividade se aproprie da nossa mente. Podemos ser o que quisermos, basta realizar primeiro mentalmente e depois colocar em prática, mas como fazer isso é justamente a questão”, conta a atleta.

Foi por isso que ela decidiu buscar ajuda profissional. Nessa hora, entra em ação o coach, o profissional capaz de equilibrar pensamento e ação. Mas como trabalhar o lado psicológico pode mudar o rendimento no esporte? Diego Knebel, master coach da Kasulo Desenvolvimento Humano, confia no treinamento pessoal como uma ferramenta para melhorar o desempenho físico.

“Possíveis características como impulsividade, timidez, insegurança ou medo podem criar bloqueios. Saber gerenciar as emoções durante a preparação e no dia D é fundamental para que o atleta mantenha o poder de raciocínio e saiba exatamente o que está fazendo”.

Juntos, atleta e coach iniciaram um treinamento que consiste em encontros semanais, com atividades estratégicas que estimulam a reflexão sobre os últimos resultados, pontos fortes e pontos de melhoria.

“O papel do coach também é apoiar o atleta para que ele chegue às melhores respostas. Quando isso acontece, ocorre o que chamamos de empoderamento interno e, por consequência, seu desempenho no esporte se eleva”, esclarece Knebel.

Depois de três meses, o resultado surpreendeu.

“Me ajudou a recuperar a autoestima, manter o bom senso. Aprendi a lidar com situações inusitadas e comentários desagradáveis a que estamos sujeitos por conta da exposição”, detalha a fisiculturista, que passou a curtir os momentos de preparação para competições.

E a próxima oportunidade para mostrar todo esse aprendizado está chegando!

No próximo sábado, dia 30 de abril, Nelita vai participar do 5º Campeonato Estreantes Paranaense IFBB (Federação Paranaense de Culturismo e Musculação e Fitness), em Curitiba, na categoria body fitness. E, claro, até mesmo minutos antes da competição, o treinamento mental continua.

“No dia, o preparador mental recapitula tudo o que foi aprendido durante o processo. Já no local da competição, verifica as necessidades do atleta e aplica estratégias para reafirmar seu equilíbrio mental até o momento da apresentação. Neste momento os gatilhos mentais (expressões chave) são fundamentais para elevar a autoconfiança”, reforça o coach, lembrando que não basta um corpo perfeito: a postura também precisa ser de campeão.

Colaboração: Contelle Assessoria