21°
Máx
17°
Min

55,6% dos empresários de materiais de construção veem cenário regular em maio

Os empresários do setor de materiais de construção acreditam que as vendas devem mostrar comportamento regular no mês de maio. Entre os entrevistados pela Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), 11,1% estimam bons resultados no mês, enquanto 55,6% disseram que o período deve ser regular e 33,3% assinalaram o mês como ruim.

A leitura para o mês é melhor do que a avaliação de abril, quando a observação "bom" contou com 11,1% dos entrevistados. O quarto mês do ano foi considerado regular por 50,0%, enquanto 22,2% definiram o período como ruim. Uma fatia de 16,7% disse que abril foi muito ruim.

"A questão política, ainda confusa, é a principal responsável por essa continuidade do pessimismo entre os empresários da indústria de materiais de construção. Esse mau humor deve continuar por alguns meses após a definição do impasse político", afirmou o presidente da Abramat, Walter Cover.

Mesmo no caso da adoção de esperadas políticas públicas de incentivo à demanda, o executivo disse que haverá um lapso de tempo para o mercado reagir. "A retomada do crédito, inclusive o financiamento imobiliário, é o principal vetor para mudanças rápidas no consumo das famílias e investimentos dos empresários", acrescentou.

A Abramat informou também que, em abril, 5,6% das empresas tinham boas expectativas quanto às ações do governo para o setor da construção civil nos próximos 12 meses. A avaliação de 66,7% dos entrevistados foi de pessimismo nesta questão, enquanto os outros 27,8% revelaram indiferença.

O resultado apresentou queda do otimismo, que estava em 20% em março. Em igual mês do ano passado, a taxa também estava em 6%. O histórico de pessimismo subiu frente aos 45% de março, mas ficou quase estável ante os 56% em abril do ano passado.

A sondagem da associação indicou também que, na média, 39% das indústrias de materiais pretendem investir nos próximos 12 meses. O resultado representou uma piora em relação a março, quando a intenção relatada era de 45%. Em igual mês do ano anterior, o indicador estava em 41%.

O mês de abril apresentou queda na utilização da capacidade industrial, atingindo 68% na média das empresas, contra 70% do mês anterior. O indicador estava em 76% no mesmo mês de 2015.