21°
Máx
17°
Min

À espera de impeachment e Yellen, Bovespa oscila pouco e fecha estável

Após se movimentar em um intervalo de apenas 485 pontos, alternando pequenas altas e baixas, a Bovespa terminou o dia estável (+0,01%) com o Índice Bovespa aos 57.722,13 pontos. O volume financeiro totalizou R$ 5,758 bilhões, o menor da semana até agora.

Com o julgamento do impeachment de Dilma Rousseff já em andamento no Congresso e a um dia do aguardado discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, o mercado acionário brasileiro manteve a cautela já observada nos últimos dias.

A Bolsa brasileira operou predominantemente em terreno positivo e subiu até 0,70%, num viés determinado pela recuperação dos preços do petróleo, que avançaram mais de 1% nas bolsas de Nova York e de Londres.

A alta da commodity impulsionou as ações da Petrobras, que avançaram 1,43% (ON) e 1,05% (PN). Os papéis da Vale também se beneficiaram da retomada da alta do petróleo e subiram 0,17% (ON) e 0,72% (PNA), respectivamente.

A commodity iniciou o dia em baixa, mas virou para o terreno positivo depois que o ministro do Petróleo do Irã, Bijan Zanganeh confirmou sua participação em um encontro informal da Opep, que deve ocorrer durante o Fórum Internacional de Energia, na Argélia, entre os dias 26 e 27 de setembro.

As bolsas americanas foram influência secundária para o mercado brasileiro durante a maior parte do dia, mas sempre pendendo para o viés negativo, o que contribuiu para limitar os ganhos na Bovespa.

Em Wall Street, os investidores locais seguiram aguardando o discurso de sexta-feira de Janet Yellen, no simpósio anual do Fed de Jackson Hole, em Wyoming. A expectativa pelo discurso de Yellen ganhou mais peso com as recentes declarações de outros dirigentes do BC americano, que sinalizaram para a possibilidade de elevação dos juros nos EUA ainda este ano.

Entre as ações que fazem parte do Ibovespa, as maiores altas ficaram com ações ligadas a consumo. Foram elas Smiles ON (+3,65%), Lojas Renner ON (+3,22%) e Raia Drogasil ON (+2,75%). As maiores baixas ficaram com Ecorodovias ON (-3,53%), Qualicorp ON (-3,09%) e Fibria ON (-3,03%). Com o resultado desta quinta-feira, o Ibovespa contabiliza alta de 0,72% em agosto e de 33,16% em 2016.