Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

À espera do DoE, petróleo recua pressionado por dados do API e relatório da AIE

Os preços do petróleo operam em queda nesta quarta-feira em um movimento de realização de lucros - após subirem mais de 5% na sessão anterior - pressionado pelos dados do American Petroleum Institute (API, uma associação de refinarias) que mostraram aumento dos estoques nos EUA e um relatório da Agência Internacional de Energia (AIE) que alertou sobre o alto nível de estoques.

Às 8h25 (de Brasília), o petróleo tipo Brent para setembro caía 1,75% na IntercontinentalExchange (ICE), a US$ 47,62 por barril, enquanto o WTI para agosto recuava 1,37% na New York Mercantile Exchange (Nymex), a US$ 46,16 por barril.

Ontem no final da tarde, o API divulgou que estima que os estoques de petróleo bruto nos EUA tiveram alta de 2,2 milhões de barris na semana passada. A pesquisa aponta também que os estoques de gasolina subiram 1,5 milhão de barris no período, enquanto os de destilados - que incluem diesel e óleo combustível para calefação - avançaram 2,6 milhões de barris.

O resultado foi um revés no humor dos investidores, que ficaram otimistas durante todo o pregão de ontem na expectativa de que o valor mostraria queda nos estoques e após um relatório da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) dizer que a produção de petróleo nos países fora da Opep poderia cair em até 800 mil barris por dia neste ano, para 56,03 milhões de barris. O declínio é maior do que o anteriormente estimado. Além disso, o Departamento de Energia (DoE) dos EUA elevou o preço médio da commodity para o segundo semestre, o que alavancou ainda mais a matéria-prima antes do fechamento.

Outro fator que tem contribuído para as perdas de hoje é o relatório da AIE, que apontou que os altos níveis de estoques estavam ameaçando a recente estabilidade de preços, uma vez que os estoques comerciais de petróleo nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) atingiram um recorde de 3,074 bilhões de barris no final de maio. A AIE alertou ainda que há um risco de que os estoques poderiam continuar a subir.

"O tom do relatório da AIE certamente é bastante negativo", disse Michael Hsueh, analista do Deutsche Bank.

O foco agora se volta para os dados oficiais do DoE sobre os estoques nos EUA, que serão conhecidos às 11h30 (de Brasília). Ainda que o API tenha mostrado aumento dos estoques, a expectativa dos analistas consultados pelo The Wall Street Journal é de queda de 2,6 milhões. Fonte: Dow Jones Newswires.