27°
Máx
13°
Min

Ações brasileiras negociadas em Nova York têm dia de fortes perdas

As ações de empresas brasileiras negociadas em Nova York registraram fortes perdas na sessão desta terça-feira, 15, influenciadas pelo noticiário político no Brasil. A possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se tornar ministro do governo Dilma Rousseff e os desdobramentos da homologação da delação premiada do senador Delcídio Amaral concentraram as atenções dos investidores.

Entre os principais American Depositary Receipts (ADRs), papéis que representam ações de companhias brasileiras e estão listados na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), os da Petrobras baixaram 8,24% e os da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) despencaram 16,16%. Também tiveram perdas significativas os da Gol (-13,76%), JBS (-8,98%), Bradesco (-8,41%), Eletrobras (-11,92%) e Gerdau (-11,89%).

O principal ETF brasileiro, o EWZ, recuou 6,38%, com as cotas fechando a US$ 23,78.