22°
Máx
17°
Min

Agropecuária e Serviços lideram saldo de empregos no semestre no Paraná

Na colheita da laranja, os destaques ficaram com os municípios de Paranavaí, com saldo de 95 vagas e Guairaçá, com saldo de 177 (Foto: Pedro Crusiol/ ANPR) - Agropecuária e Serviços lideram saldo de empregos no Paraná
Na colheita da laranja, os destaques ficaram com os municípios de Paranavaí, com saldo de 95 vagas e Guairaçá, com saldo de 177 (Foto: Pedro Crusiol/ ANPR)

O setor de serviços foi o campeão de saldo de vagas com carteira assinada no Paraná no primeiro semestre de 2016, com uma diferença positiva entre admitidos e demitidos de 1.831 empregos. A agropecuária ficou em segundo lugar, com saldo positivo de 1.471 vagas, e a administração pública, com 441 vagas. Os dados, do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Ministério do Trabalho. 

No acumulado de janeiro a junho, o saldo estadual foi negativo em 16.512 vagas, fruto da diferença entre 568.161 admissões e 584.673 demissões. “O desempenho ainda foi impactado principalmente pelos resultados negativos da indústria e do comércio, fruto de um efeito em cadeia da crise. Com o aumento do desemprego, o consumo cai e as vendas no comércio têm retração”, diz a economista Suelen Rodrigues dos Santos, do Observatório do Trabalho da Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos. “Mas em junho já se observa uma redução da trajetória de perdas de postos de trabalho”, diz. 

O Estado fechou junho com um saldo negativo de 7.130 postos formais de trabalho – diferença de 87.374 admissões e de 94.504 demissões. No mesmo período do ano passado, o saldo havia sido negativo em 8.893 empregos. Boa parte desse resultado se deve, mais uma vez, à agropecuária, com saldo positivo de 460 vagas, influenciada pelas contratações para a colheita da safra de laranja. “Graças ao setor agropecuário, o ritmo de perda de vagas perdeu ritmo no Estado”, afirma Suelen. 

Em junho, o município de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, foi o que obteve maior saldo, com 359 novas vagas, puxadas pelas contratações da indústria de material de transporte e a fabricação de cosméticos. Entre as atividades que registraram os maiores saldos foram trabalhadores agrícolas da fruticultura, com 547 vagas, e trabalhadores em montagem de veículos, com 456 vagas. Na colheita da laranja, os destaques ficaram com os municípios de Paranavaí, com saldo de 95 vagas e Guairaçá, com saldo de 177.