21°
Máx
17°
Min

América Móvil diz que continua otimista e vislumbrando oportunidades no Brasil

O presidente da América Móvil, José Antônio Félix, afirmou que o segmento de TV por assinatura tem expandido seus níveis de audiência e o tíquete médio dos serviços no Brasil, contrapondo, em parte, a redução da base de clientes e problemas de natureza tributária e regulatória. Diante desse cenário, a companhia - dona de Net, Claro e Embratel - vê perspectivas positivas para os negócios no setor.

"Apesar do aumento da alíquota de ICMS, das assimetrias regulatórias, da concorrência e da redução da base registrada, o mercado de TV por assinatura ganhou audiência e tem visto o tíquete médio aumentar", afirmou há pouco o executivo, durante entrevista coletiva à imprensa, realizada no Congresso da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA), evento que será realizado entre esta quarta-feira, 29, e sexta-feira, 1º de julho, em São Paulo

"Continuamos otimistas e vislumbramos oportunidades de crescimento no País. Vamos seguir investindo e buscando atender a todos os mercados e a todas as regiões", complementou Félix. O presidente do grupo também comemorou a marca de 1,5 bilhão de programas assistidos ao longo de cinco anos pelos clientes do Now, serviço de vídeo on demand oferecido pela Net. "Estamos muito satisfeitos com o resultado, que superou todas as expectativas", afirmou.

Olimpíadas

A América Móvil também apresentou nesta quarta-feira a infraestrutura de telecomunicações para dar suporte à Olimpíada do Rio. A empresa é patrocinadora oficial do evento por meio de suas controladas Net, Claro e Embratel.

Para atender a demanda dos jogos, será utilizada toda a infraestrutura instalada do grupo no País, abrangendo 181 mil quilômetros de cabos óticos, 17 mil quilômetros de cabos submarinos e 17 mil estações rádio base de telefonia móvel (ERBs).

A base de telecomunicações no Rio terá o backbone Embratel, com 370 quilômetros de fibra ótica triplamente redundantes - isto é, se uma rede cair ainda restarão outras duas de reserva. A rede terá velocidade de 40 gigabits por segundo, conectando mais de 60 mil pontos de acesso à rede distribuídos em mais de 100 locais onde ocorrerão os jogos, como as arenas das competições, centros de transmissão e áreas de convivência.

A Embratel fornecerá ainda a rede de fibra ótica que captará os sinais de vídeo de todas as competições e os repassará ao centro de transmissão internacional, de onde sairão as imagens para 200 países.

A Net e a Claro HD também preparam uma cobertura em alta definição para seus clientes, com 25 canais dedicados ao evento, em parceria com todas as emissoras detentoras dos direitos de transmissão na TV fechada - SportTV, ESPN, Fox Sports e Band Sports.