21°
Máx
17°
Min

Analistas preveem dólar a R$ 3,46 ao final de 2016

Com a forte queda do dólar na semana passada, o mercado financeiro revisou de forma importante as projeções para o câmbio deste e do próximo ano. Isso, mesmo com a volta de atuação do Banco Central (BC) neste mercado por meio de leilões de swap cambial reverso.

O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 4,pelo BC, apresentou que a cotação da moeda estará em R$ 3,46 no encerramento de 2016 ante R$ 3,60 do levantamento anterior - um mês atrás, estava em R$ 3,68. Com isso, o câmbio médio de 2016 passou de R$ 3,61 para R$ 3,51 - um mês antes, estava em R$ 3,65.

Para 2017, a mediana recuou de R$ 3,80 para R$ 3,70 de uma divulgação para a outra - quatro semanas atrás estava em R$ 3,85. Já o câmbio médio do ano que vem caiu de R$ 3,74 para R$ 3,61 de um levantamento para o outro - estava em R$ 3,81 um mês atrás.

Selic

Depois da divulgação do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e da definição da meta de 2018 (4,5% com bandas de tolerância de 1,5 ponto porcentual), as projeções do mercado para a taxa básica de juros praticamente não se mexeram. O Relatório de Mercado Focus trouxe estabilidade das previsões para a Selic no fim de 2016 em 13,25% ao ano (aa) e para 2017, em 11,00% aa. Na semana passada, os analistas já tinham apresentado fortes correções para a taxa, que atualmente está em 14,25% ao ano. Entre os Top 5, porém, houve mudanças significativas na edição do documento desta segunda-feira.

Um mês atrás, o boletim apontava a Selic em 12,88% para o encerramento de 2016 e em 11,25% para o fim de 2017. No caso da Selic média, a mediana das previsões subiu novamente, de 14,03% para 14,06% para o horizonte de 2016 ante 13,88% de quatro semanas atrás. Já para 2017, a mediana do mercado para a Selic média permaneceu em 11,67% pela segunda vez - um mês antes estava em 11,70% ao ano.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus (médio prazo), a estimativa para o fim deste ano recuou de 13,75% aa, patamar em que já estava há um mês, para 13,50%. Para 2017, a mediana recuou de 11,25% aa para 10,50% - um mês antes, estava em 12,25% aa.